quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Preparação para o pós-parto

Você entra no elevador junto com alguém e a pessoa olha para sua barriga. Dá um sorrisinho e pergunta:

- É pra quando?
- Janeiro.
- E já está tudo pronto?
- Er... mais ou menos. Está tudo encaminhado.

Visitem o quarto da Emília e verão no canto uma poltrona listrada (ficava na minha antiga sala) com uma almofada de amamentação em cima. Pendurada no armador, Mirandolina, a boneca cabeçuda. Só.

Abra o armário da Emília (embutido, já estava lá quando comprei o apartamento) e verão apenas uns dois bodies, uns quatro vestidinhos, algumas meias e sapatinhos e três mantinhas. Mentira! Verão também o bebê conforto e o carrinho! Aêeeee! Não estou tão atrasada assim.

Acontece que minha irmã vai pra NY este domingo e preferi esperar pela volta dela pra encerrar o enxoval. E minha sogra vem no início de dezembro com a parte de cama e banho. Daí que ficou tudo pra última hora mesmo, e acabei nem planejando chá de bebê.

Mas se pra umas coisas eu sou super relaxada, pra outras nem tanto. Como já disse aqui, visitei creches e maternidades há bastante tempo e comprei o carrinho (que exigia uma pesquisa maior) com uma boa antecedência também. O berço ainda não chegou porque é uma relíquia que está na família do meu marido (que inclusive dormiu nele) há 30 anos e que teve de ser trazido de Três Corações e enviado pra restauração.

E como minha mente sistemática até que anda funcionando bem, já há algum tempo tenho me preocupado com a questão alimentação pós-parto. Lactante tem de se alimentar bem, certo? E como comer bem sem tempo para cozinhar ou ir a um bom restaurante?

Há algum tempo já planejei meu cardápio congelado: sopas, grãos, leguminosas, quibe (de soja, claro). Fiz a lista de suprimentos pra comprar na 37ª semana (vai que ela resolver vir na 38ª!) e deixar a casa abastecida, inclusive com produtos de limpeza.

Mas não dá pra viver só de congelados e alimentos não perecíveis, então já combinei com minha mãe que ela vai me dar uma força pra complementar minhas refeições com saladas e coisas frescas. Mas há outro fator: frutas e verduras estragam rápido, e o trabalho da mama acabaria ficando maior: comprar e cozinhar.

E eis que ontem experimentei uma solução: Feira em Casa! Um amigo meu tem um negócio de compras em domicílio: você faz o pedido, ele vai lá na Ceasa e entrega tudo na sua casa! Prático, não é mesmo? O preço é muito próximo ao do verdurão, com a vantagem que é tudo mais fresco e você não tem de se deslocar ou perder tempo. Vai ser ótimo pra quando eu estiver por conta da minha bonequinha, mas agora já veio bem a calhar. Andar com essa pança na frutaria lotada e pequena e depois tentar caber no elevador junto com o carrinho já não está mais rolando.

E ainda tem o momento “o que será que ele me trouxe?” Claro, é você que faz a lista, mas ver os vegetais é outra coisa. Eu tinha pedido uma unidade de batata doce, a R$0,80. Pois ele me trouxe a maior batata doce do universo, acho que maior e mais pesada que a Emília. Cortei em cubos e congelei umas seis porções. Acho que é a solução pra fome no mundo...

Se alguém que mora em Brasília se interessar, passo o contato. Você marca o horário e ele vai até você!

+++

E aproveitando o momento propaganda, a Michelle, do Comidinhas Deliciosas, está vendendo uns enfeites fofos de natal, olha aí.



Quem se interessar visita lá o blog dela e deixa um comentário!

Ah, ela mora em Brasília mas pode mandar a encomenda pelo correio também!

6 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Lia, eu quero o contato do cara que leva a feira em casa, sim. Nunca se sabe quando se vai precisar, né?
E eu acho que, para a sua mãe, comprar algumas coisinhas e cozinhar para vc não vai ser um sacrifício, né? Não fique achando que vc está explorando todo mundo, isso é normal!
Beijos

Cynthia Santos disse...

Eu ia sugerir isso mesmo...ehehehe
compras em casa, maridão ligava e mandava entregar tudo: frutas, verduras e até carne!
ele ia ao supermercado uma vez por semana e comprava as fraldas, produtos de limpeza, e etc... a comida era minha mãe que fazia, e sempre em quantidade que sobrasse pra janta (jantar eram outros 500, Arthur abria o berreiro as 16h e só dormia às 22h...)
Beijos!

Kelly Resende disse...

Oi Lia, eu tb quero o contato!
Me diz uma coisa, vc fez algum curso para gestante aqui em Brasilia? Aqueles q ensinam dar banho, amamentar, etc...
Abraços

Marina disse...

Lia, estou na 33 semana, mas tá tudo praticamente pronto! Acho que mais uma semana e posso dizer que tá tudo pronto! rssss
Vou fazer um post depois sobre isso tb!
Vc fez bem em esperar a viagem da sua irmã! Vai economizar uma baba! Minha mãe tb trouxe mt coisa pra mim de fora! É realmente vantajoso!
O carrinho e bb conforto compramos em setembro, e, se me lembro bem, é igual ao seu (evolution cinza e azul)!!!

Uma perguntinha básica, te falaram que tinha que lavar o carrinho???? Vc vai fazer isso???

Sobre a comida pós parto, tb andei pensando nisso!
Aqui em casa não tem quem cozinhe, sou eu mesma! E sei que não vou dar conta!
Contarei com a ajuda da minha avó e mãe, mas acho que tb vou fazer um esquemão de congelado ou semi-pronto!

Qual a DPP da Emília??

bjs

Michelle Santos disse...

Ei Lia! Obrigada pelo comentário!! Menina...tô aki atoladinha de serviço! Meus fuxiquinhos estão fazendo sucesso! Quem diria!!!!!!!
beijão pra ti!

tapensandooque disse...

Gente, até que enfim acho alguém que tá se preparando pro pós-parto. Meu marido acha que é melhor esperar pra ver se vou precisar disso ou daquilo, que se preocupar agora é bobagem. Mas eu sou metódica e moro em Bsb, então todas as dicas do universo são bem vindas. =)

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.