sábado, 3 de outubro de 2009

Sonhando com o parto

Pra começar, uma breve propaganda: uma assessora do festival Prix Jeunesse me pediu gentilmente que ajudasse a divulgar o evento. Trata-se de um prêmio para produções audiovisuais (leia-se: filminhos legais) que estimulam o desenvolvimento cultural e social. Quem se interessar pode votar na categoria “Aprender pela Experiência”, lançada pela OMO, que irá eleger o programa que mais valoriza e estimula o aprendizado pela experiência e o uso de brinquedos “não estruturados” pelas crianças.

Tenho que dizer que achei a coisa mais fofa o vídeo do elefantinho. Ah, e a página tem também links para "blogs brincantes". Achei bem legal.

Agora, de volta à programação normal.

+++

Ontem, em São João del Rei, eu e minha sogra vimos uma moça com um nenenzinho nos braços. Minha sogra perguntou:

- Tem quanto tempo?

- 22 dias. Segundo parto normal, não quero mais outro, não [entendi que se tratava de outro filho mesmo, não de outro parto normal]. Mas pelo menos a recuperação é rápida, né? Já caíram os pontos e tudo.

O menino era cabeludão, a boquinha sugando com força o peito da mãe. Ela estava em pé, na frente do banco, solão de meio dia. Pediu licença e foi se refugiar na marquise. Reparei no físico dela: nenhuma barriga, os membros fortes e um ar muito saudável.

Na mesma noite, sonhei com meu parto. Não foi a primeira vez. A Emília não chegou a nascer, era muito cedo. Não recordo direito se cheguei ao hospital ou se só liguei pra médica. A única coisa que lembro é que foi tudo muito sereno. A dor, se havia, era uma coisa tão abstrata que eu nem sentia. E o tempo todo eu tinha a convicção de que tudo ia dar certo.

Sonho muito, e costumo me lembrar dos sonhos com precisão de detalhes. É muito comum que surjam durante meu sono as imagens dos meus medos. Sonho com frequência que chego atrasada ao trabalho, ou que esqueço algo importante. Antes de engravidar, também sonhava que era incapaz de cuidar de um ser mais frágil: esquecia de dar comida ao cachorro, deixava um bebê em cima da árvore, me encontrava com meus filhos já com uns 10, 12 anos e não os conhecia. Mas essa foi a segunda ou a terceira vez que sonhei com o parto e não havia nada do que normalmente há quando sonho com o desconhecido. E percebi que não sinto nenhum medo.

Não é que eu ache que não vá sentir dor. Não é que eu tenha certeza de que não haverá nenhuma complicação, ou que não será necessária uma intervenção cirúrgica. Também não garanto que não vou sentir aquele frio na barriga quando se aproximar a data. Mas simplesmente tenho a sensação de que, não importa o que acontecer, tudo vai terminar bem. E se eu estiver redondamente enganada, nada melhor do que não sofrer por antecipação.

Não me reconheço mais. Essa calma toda não me pertence. E eu não podia estar mais feliz.

6 comentários:

Flavia disse...

Sabe o que eu acho? Que esse é o primeiro passo pra ter um parto de "sonho". Estar tranquila e confiante. O friozinho na barriga tambem faz parte... né?
lindo post!
Vai dar tudo certo!

bjs

Val disse...

Lia, vou te falar uma coisa: a gente quando vira mãe (desde a concepção) tira forças de um lugar que até então não conhecíamos. Pode ter certeza. Eu não sei definir onde a gente encontra forças, mas posso afirmar que a gente encontra.

Tive meu filho, depois de 5 anos de casada. E confesso que um dos motivos que me fez adiar a vontade de ser mãe foi o medo do parto. Mas ele só existiu até o dia em que me descobri grávida. Depois disso, passei a pensar no dia como um dia necessário, como o primeiro dia do resto de minha vida. Vendo uma novela, um dia, tive um certo medo de morrer e chorei muito. Mas foi a única vez. Na hora do meu pequeno nascer, quando a enfermeira disse "Vamos", me chamando para a sala de cirurgia, fui naturalmente, cheia de coragem, com o coração leve e tranquilo. E é isso que desejo a você, mesmo sabendo que é o que vc vai sentir. PLENITUDE!
Deus as abençoe! Bjos

Carol disse...

acho que essa calma que vc tá vivendo é a indicação de que tudo vai dar super certo! e é só o que me falta: ficar grávida pra ficar calma, pq por enquanto, tô teeeensa!

parabéns pela tranquilidade!
beijos
Carol
http://carolesuasbabybobeiras.blogspot.com/

Fabi disse...

Oi Lia,

Eu me acho uma pessoa bem tranquila atualmente, mas nem sempre foi assim. Quando eu casei eu tinha muitos medos e às vezes de coisas que eu nem sabia quanto tempo ia demorar para acontecer, como engravidar por exemplo, que só depois de 5 anos, aconteceu. Mas acho que esta tranquilidade só foi adquirida com a maturidade e confiança. E acho que você está certissíma: espere o seu momento com serenidade e se por acaso as coisas não saírem como você planejou, o seu sofrimento prévio não resolveria nada mesmo.
Beijos,

Sílvia Amélia disse...

Lia, seus sonhos mostram o quanto você está preparada para ser uma ótima mãe. Desde agora você já é uma mãe linda e cheia de paz com a sua missão. Emília tem uma sorte imensa de ter você como mãe e o Rafael como pai. Adorei ver vocês! beijos

Thaís Rosa disse...

eu também tinha sonhos assim. medo nenhum, dor nenhuma. em um deles caio chegou a nascer, escorregou pelo meio das minhas pernas, tão rápido que eu mesma segurava. mas lembrava tudo como flashes, nenhum detalhe. em um deles eu estava, com o dani, a doula e mais um casal de amigos (rá! suruba no parto!!) em um quarto de hotel. eu de pé, apoiava na parede, abria as pernas e ele nascia. simples assim. e meio que meu parto foi assim mesmo... rárárá!
pode botar fé nesses sonhos, e se agarra na confiança que eles tão te passando!!!
beijão

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.