quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Diário de uma gestação - 1o e 2o trimestres, parte I

Ufa! Aqui está uma correria só. Ando pra lá e pra cá com minha sogra vendo principalmente coisas de enxoval. E tem a malhação também: ontem, caminhada e personal. Hoje, 12km de caminhada. E mesmo assim estou engordando muito mais do que deveria. Ó céus!

Demorei a postar porque estava preparando algo especial para as futuras e recém grávidas.

Antes de engravidar, a gente tem um monte de dúvidas: quanto tempo vai demorar? Será que vou saber quando estiver grávida? Como será que meu corpo vai reagir? Os médicos respondem a algumas perguntas, principalmente em relação à preparação para o pré-natal. Mas tem coisa que só mesmo conversando com outras mulheres.

Depois que você engravida, aparecem novas questões: quando vou precisar de novas roupas? Que partes do meu corpo vão aumentar? Que atividades físicas posso fazer? O que devo deixar preparado para a chegada do bebê, e quando? Novamente, os médicos, as revistas, os sites especializados ajudam, mas não resolvem tudo.

Como já comecei a navegar por blogs de mães um pouco antes de engravidar, consegui pescar algumas informações. Mas algumas dúvidas que eu tinha só foram respondidas mesmo com a minha própria experiência de carregar um filho. Então, agora que estou no final do 5o mês e me preparando para o 3o e último trimestre da gestação, resolvi fazer um balanço das coisas que vivi até agora. São as minhas experiências pessoais, então, se você nunca engravidou, pode ser que passe por situações bem diversas. Mas sempre gostei de ouvir os relatos das outras mães, então decidi servir um pouco à comunidade em vez de só ficar pegando dicas nas minhas enquetes (mas elas vão continuar!).

Fiz meu relato em forma de auto-entrevista. Fiz a mim mesma perguntas que eu tinha antes de engravidar e respondi com base na minha experiência até hoje. Brega, mas foi a forma mais organizada que encontrei para compartilhar tudo isso com vocês.

Como o texto ficou muito extenso, precisei dividi-lo. Então hoje vai a 1a parte e amanhã o resto.

+++

LIA ENTREVISTA LIA

Você demorou a conseguir engravidar?

Sim e não. Por razões alheias à vontade minha e do meu marido (pessoais demais para contar aqui), tivemos de esperar mais do que gostaríamos para começar a tentar. Isso nos fez sentir um pouco como aqueles casais que não conseguem engravidar, que ficam olhando as mulheres grávidas e sentindo aquela pontinha de inveja – mesmo sem nenhum problema de fertilidade. Enfim, complexo.

Mas uma vez nosso problema resolvido, engravidei no segundo mês após interromper o anticoncepcional. Ficamos muito felizes de Deus ter nos poupado de uma longa espera, depois de tudo o que já havíamos passado.


Você fez alguma coisa pra acelerar a concepção?

Ah, fiz. Pesquisei um monte sobre maneiras de melhorar a fertilidade e de aumentar as chances de concepção. Adaptei as dietas minha e do meu marido, tratei de perder os três quilos que tinha ganhado no fim do ano passado e passei a anotar tudo o que tivesse relação com meu ciclo menstrual: data em que suspendi a pílula, datas das duas menstruações seguintes e as alterações no meu corpo durante os ciclos (inchaços, cólicas, muco, etc.). Calculei os períodos férteis, dei uma mega margem (principalmente pros dias antes da ovulação) e procurei garantir que estaríamos cobertos nesse período – que, no final, ficou sendo de uns 10 dias, só por via das dúvidas... . Adotamos a filosofia de quanto mais, melhor.

Se ajudou? Não faço a menor ideia; só sei que aqui está a Emília.

Você desconfiou que estava grávida antes de fazer o teste? Sentiu algum sintoma?

Um pouco. Algo me disse que eu estava grávida, até anotei isso no meu diário pessoal. Mas a razão sempre ficava me dizendo para não me iludir sem ter certeza. Aí a gente acha que está grávida, mas prefere não achar demais pra não se decepcionar.

Quanto aos sintomas, foram bem discretos: meus seios incharam um pouco no período ovulatório (normal) e não desincharam mais. Outro detalhe que percebi foram as unhas mais fortes. Mas foi tudo muito sutil.

Que testes você fez?

Fiz o teste de farmácia, três dias depois do atraso da menstruação. Foi um domingo. Teria feito o teste já no primeiro dia de atraso, mas como essa porcariazinha custa horrores, preferi esperar um pouco pra não desperdiçar. Como costumo ser reguladinha, quando fiz o exame de urina já esperava um positivo (claro, sempre com aquela pontinha de dúvida).

Super acredito nos testes de farmácia, então nesse dia mesmo contamos pras famílias. Na segunda cedo fiz o Beta, que deu resultado positivo já às 14h.

Uma coisa que eu sempre me perguntava antes de começar a tentar engravidar era: como faz o exame de sangue? Marca uma consulta e só depois é que faz?

Quem está fazendo pré-natal já sabe: o médico dá um pedido sem data pro exame e você faz assim que desconfiar da gravidez. Oh, que prático!

Como você se sentiu quando seu corpo começou a mudar?

Péssima. Me achava uma baleia. Isso porque eu relacionava as primeiras mudanças no meu corpo a momentos em que eu estive mais gorda. Pensava, por exemplo: “a última vez que meus seios estiveram deste tamanho eu estava 3k mais gorda”; “a última vez que o botão dessa calça apertou eu estava 4k mais gorda”. E quando eu começava a me acostumar com meu novo formato e já estava até me achando bonita, ele mudava outra vez e outra vez eu me achava gorda. E olhem que engordei menos de 1kg no 1o trimestre.

Mas isso foi só até a barriga adquirir a aparência de grávida. Aí as crises passaram, mesmo eu tendo engordado muito mais nos meses seguintes. Porque agora estou mais pesada do que jamais estive, e meu diâmetro abdominal atual só seria atingido em condições normais com uns 50kg a mais. Então parei de relacionar meu tamanho com a gordura e passei a vê-lo somente como resultado da gestação. Hoje estou me achando linda!

Seu cabelo melhorou?

Não! Não é justo! Mas, como disse, as unhas ficaram mais fortes.

Você enjoou?

Praticamente nada. Tive um pouquinho de mal estar um ou dois dias e passei a não suportar mais alguns alimentos que eu já não curtia (cebola, cebolinha, salsa, coentro). Fora isso, me considero uma felizarda.

+++

Por hoje é só! Amanhã falo sobre mudanças no corpo, atividades físicas, dieta e pré-natal.

4 comentários:

Marina disse...

Lia, adoreeeei! Tb ficava questionando essas coisas antes de engravidar! Vou responder esse "questionário" pra mim mesma depois! Acho que vale guardar!
beijocas

Carol disse...

olha, é super pra mim esse post, adorei!
to esperando pela parte 2!

Roberta disse...

Adorei a entrevista.
E como você falou, é só tendo a própria experiência pra saber exatamente o que vai acontecer com você. Eu, por exemplo, demorei um ano pra engravidar (só que também não fiz cálculo nenhum e nem adotei qualquer método para acelecar a concepção, preferi assim). E infelizmente, ao contrário de você, enjoei à beça. Vomitava quase todo dia de manhã e desperdicei vários cafés da manhã logo após consumi-los... rsrsrs... Só o picolé de limão me aliviava...
Beijos

Letícia Volponi disse...

Muito boa a entrevista e a idéia. Parabéns! Vai ajudar muita gente, com certeza. Eu aboli a feijoada durante toda a gravidez e virei uma viciada em strogonoff. Comia até duas vezes por semana...

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.