quinta-feira, 8 de julho de 2010

Introdução de alimentos - segunda etapa

Terça visitamos Dr. Pediatra e tudo certo. Moçoila voltou à sua curva de engorda e continua "mimosinha", como diz o Doutor. E agora começamos a segunda etapa da transição para os alimentos sólidos.

A primeira eram aquelas papinhas sem tempero, só o azeite, e ingredientes limitados. Agora ela pode comer tudo menos proteína animal. Ou seja, praticamente a mesma alimentação dos papais, sem os laticínios e sem a pimenta cayena. Já posso colocar alho refogado, ervinhas, e até feijão a moça pode comer! Ueba!

Ontem fiz duas papinhas deliciosas, ambas com abobrinha: uma na base da batata baroa e outra com inhame. Na primeira coloquei tomilho limão e na segunda, sálvia. Ai, tô até salivando. Pena que ela não compartilhou do meu entusiasmo, e no almoço comeu a mesma colher e meia de sempre. Na janta (primeira vez que ofereço à noite), engasgou e não quis mais. Daí eu tracei o resto, hohoho. É aí que nós mães começamos a engordar. Até hoje minha mãe come os restos que a gente (a gente não, minha irmã mais nova!) deixa pra trás.

Então a segunda novidade foi a introdução da papinha da janta. E, com isso, Dr. Pediatra sugeriu que começássemos a oferecer água, já que a umidade está em -10%. Daí eu tentei no copinho e ela ficou só mordendo o bico. Pensamento número 1, que passou voando pela minha cachola: “Putz, lascou-se, ela não vai pegar esse bico, não vai pegar mamadeira, vou ter que amamentar pra sempre e me demitir (oba!)”. Pensamento número 2, mais racional: “Ela não está com sede”. Normal, né, já que ela continua se alimentando 99% do peito.

Como Emília só volta ao pediatra daqui a um mês, o resto da transição fica bem mais por minha conta, com maior liberdade. Por exemplo, cabe a mim decidir quando começar com as frutinhas nos lanches da manhã e da tarde. A ideia é que quando ela entrar na creche já esteja comendo essas 4 refeições. Então eu vou testando, observando e julgando o melhor ritmo para a introdução de alimentos.

Por enquanto, florzinha parece que ainda não entendeu que as papinhas são comida, da mesma forma que o leite do peito. Acho que ela ainda vê as comidinhas como um brinquedo, e logo cansa. Mas um dia a gente chega lá!

12 comentários:

Denise disse...

A Elisa não mamou quase nada, eu tinha pouco leite, então desde cedinho tomava NAN. No começo a gente dava de seringa pra ela não deixar o peito, mas depois...
Começamos nos pastosos e frutinhas lá pelo 5ºmês e não é que a guria adorou.
Acho que mais um pouquinho de insistência e a "mimosa" vai traçar um pratão. Persistência é a nossa sina nesse momento.

Fabiana disse...

Que legal oferecer esses temperos diferentes do comum, como cebola e alho.

Eu sou difícil pra mudar o tempero. Não quenão goste, é que não tenho muito conhecimento do que é o que e onde fica bom.

Logo, logo Emília estara uma comilona.

Bjos.

Carol Garcia disse...

básico, lia...
qdo pequeno estava nessa fase, os pensamentos vinham as colheradas para a minha cabeça.
neuroses resolvidas, isaac mais acostumado, a hora da papa virou uma festa.
hoje ele come de tudo, até pedra.
bjocas
carol

Nutrição & Cia disse...

Querida Lia adoro seu blog pois tem tudo haver com o meu. Se quiser dicas de nutricionista da um pulo lá, vou adorar. Já estou te seguindo. Um abraço Patricia.

Nine disse...

Oi Lia! Eu te visito sempre, mas nem sempre consigo comentar, pois dá erro no meu computador. Hj não sei o que houve, mas deu tudo certo! Abriu a caixa de comentário e estou aqui, rsrsrs. Esse comecinho da alimentação é meio difícil, né? Mas eles engrenam logo, logo! A minha recusava quase tudo e hj é o contrário! Come de tudo!

Beijos!
Nine
www.minhapequenaisis.blogspot.com

Dani disse...

Chega sim Lia. O começo dessa introdução das papinhas é assim mesmo. Depois vai. Florzinha vai pegar gosto pela coisa e se lambuzar de mandioquinha e sopinha de feijão! E vai ficar mais mimosinha ainda!
Beijo, querida!
dani

Paloma, a mãe disse...

Geralmente eles aceitam muito bem as frutinhas, vc vai ver! E isso de comer restos, amiga, não tem cura, não, é daí para pior. Imagine com 3 filhos (quantos quilinhos a mais ao longo dos anos). Eu detesto desperdício e já sei que, se a Clarice for como a Ciça (a rainha de comer metade do prato), estou ferrada.
Beijos

Ana disse...

Adoro batata baroa! Sempre belisco do prato do Lucas. Rs
Aos poucos ela se acostuma com o paladar.
Fruta geralmente é mais fácil.
Beijos

Tathyana disse...

Realmente, como diz a minha mãe, mãe é lata de lixo rssss. Aqui não é muito diferente. Eu dava água de côco pra Alice porque ela não bebia água "normal" de forma alguma. Depois fui diluindo a água de côco com água pura até fazer a transição completa. Mas ela adora até hj. Bjssss

Kelly Resende disse...

Nossa, que dificil esse negocio de introdução de alimentos! Eu, desorganizada como sou, já vi que vai ser dureza. rsss

Journal de Béatrice disse...

Lia! Lembrei de vc hoje na hora do almoço aqui em casa! Agora que a Emilia entrou com o pe direito nas outras comidinhas (e até feijão!), vou te dar a dica de, quando puder (e se quiser, obvio!), oferecer a quinua! Eu uso muito, mas muito mesmo e ela esta presente na maioria das refeições. Se faço uma canjinha, boto la quinua no meio. E, para um monte de outras coisas, ja que as "bolinhas" nao interferem no gosto da comida.
E, quanto ao comer os restinhos... Ai... Qual é a mae que nao passa por isso!
Beijosssss

vemcaluisa disse...

Oi Lia, que bom que a Emila já engordu um pouquinho, ou pelo menos que já voltou a subir na curva! E que bom que aumentaram as opções também! Preciso começar a ser mais criativa com a Luisa coitada, não sei como não cansou das sopinhas ainda! AS frutas ela adora, todas!! Abre a boca esperando a colher, espero que a Emilia se delicie também!
E como vc falou, quando elas não querem mais a gente acaba com o que sobrou no prato (mas quem disse que não vamos almoçar e jantar depois né??!!!) Beijo e boa sorte ai!
Déa

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.