domingo, 11 de julho de 2010

3a fase da introdução de alimentos: o pânico

Vou confessar: estou odiando essa coisa das comidinhas. Achei que Emília simplesmente ia comer e pronto. Nunca imaginei que eu estaria desanimada, cansada e sem esperanças nesta etapa da vida dela.

O problema é simples: ela não come. Quer dizer, normalmente come aquela meia colherzinha, e só. Não há evolução nenhuma, pelo contrário. Parece haver uma regressão, porque ontem, por exemplo, ela sequer abriu a boca pra experimentar a papinha.

Estamos oferecendo papinhas salgadas mais ou menos na hora do almoço e da janta. Hoje comecei com mamão no lanche da manhã. Depois de ficar um tempão com a boca fechada, o Rafael conseguiu enfiar meio que à força (não nos condenem, ela precisava saber que agora era outra coisa!) um tico de fruta. Ela fez uma cara ótima e achamos que tínhamos descoberto a fórmula. Era só insistir um pouquinho no doce... Mas aí foi a mesma coisa de sempre, depois de uma colher ela começou a rejeitar.

Percebam que não estou nem um pouco aborrecida com minha filha. Estou aborrecida comigo, com o médico, com a Sociedade Brasileira de Pediatria, com a OMS, com os legumes e com as árvores frutíferas. Parece simplesmente que ela ainda não está pronta, e sinto uma saudade violenta do tempo em que não havia problema em amamentar de hora em hora.

O que está me deixando péssima é todo o ritual, a preparação, a falta de espontaneidade, a precariedade do humor dela. Porque mamar, ela mama de qualquer jeito: cansada, com dor, com muita ou pouca fome, com frio, com calor. E pra comer ela tem de estar em perfeita alegria, radiante, e isso nem sempre coincide com o nível de fome ideal pra comer. Sim, porque ela tem de estar com fome suficiente pra aceitar o alimento, mas sem fome demais pra ficar irritada e só querer o peito. Em suma: um saco.

E aí esse negócio de oferecer papinha mais ou menos na hora do almoço tem avacalhado nossas refeições. Eu fico me desdobrando pra preparar a nossa comida e a dela ao mesmo tempo, muitas vezes com ela gritando por atenção - porque agora com 6 meses Emília não tira a pilha -, depois colocá-la na cadeirinha, arrumar todo o aparato anti-sujeira, babador com fralda por baixo, pra ela começar a se esgoelar antes mesmo de ver a colher. Aí a gente tenta dar no carrinho, no colo, na varanda, nos prados verdejantes da redondeza, e tudo o que ela faz é gritar e virar a cara. Já tentei até deixar ela se lambuzar com a comida, e nada.

Eu não estaria preocupada se não tivesse de voltar a trabalhar daqui a um mês. E mesmo se fosse só isso, eu mandava o leite ordenhado. O problema é que nem água no copinho ela não bebe, e aí nem sei se ela vai pegar copinho ou mamadeira. E não tô nem um pouco a fim de enfiar meu leite na garrafa agora pra testar. Vou começar com suco e ver no que dá, mas não estou nem um pouco otimista.

Minha vontade era parar tudo e deixar ela mamando até que, por vontade própria, ela roubasse um pedaço da nossa comida e enfiasse na boca. Mas aí tem os nutrientes, as reservas de ferro e o fim da minha licença.

Eu sei que falta um mês, e que ainda há tempo. Mas estou sem a menor paciência e fiquei doente de novo.

+++

E pra não pagar uma de mal-humorada e não parecer que a maternidade não compensa, tenho que contar que Emília começou a falar. Não palavras identificáveis, mas começou a emitir fonemas muitíssimo parecidos com os nossos. A gente ouve coisa tipo "água", "alo", "baba", "nháo", "blabla", "ai" (com suas variantes "ai, ai..", "aaaaai" e "aiaiaiaiaiai!"), e com uma variedade de entonações impressionante.

Tá muito crescida essa minha moça...

23 comentários:

Tathyana disse...

Oh Amiga, benvinda ao clube. Eu penei com Alice até ela completar mais de 1 ano de vida. Não foi fácil. Tinha dias que eu sentava e chorava. Ela comia muito bem por 15 dias e muito mal por 15 dias. Foram meses de terror e pânico. Por isso, te dou um conselho: não a force e não se force em nada. Se ela está comendo só uma colher e meia, ótimo, é isso o que ela quer naquele momento. Ela vai despertar pra comida, mas se vc se estressar vai muito pior. Tente dar a ela o almoço e a janta enquanto vcs comem. Não tem nada mais desgastante do que dar comida pra uma criança estando com fome. Vai nas frutinhas, no suquinho de laranja lima, água de côco, nas sopinhas que tudo vai dar certo. Não se apegue a quantidade, por enquanto o seu leite é o que ela precisa e o que vai se alimentar mais. Ela está degustando, treinando o paladar para comidas mais elaboradas do que o próprio leite. E se ficar pesado, respira, pede pra outra pessoa dar a comida (Rafael, sua mãe), porque eu sei o quanto eu sofri com meu estresse na alimentação da Alice. Tô aqui viu?

Bjsssss

Lu disse...

Lia

eu sei exatamente o que vc esta passando porque tive esse mesmo tipo de problema com o Serginho. A diferenca eh que na epoca ele estava com pouco mais de 3 meses e eu tinha que voltar a trabalhar no dia em que ele faria 4 meses.

No nosso caso demorou cerca de 2 meses para ele se adaptar a comidinha, talvez ate pela pouca idade, mas o que comecou a funcionar no caso dele foi a comidinha normal de casa. Comecei a dar pure de batatas com requeijao, caldinho de feijao, polenta, esse tipo de comida. Nada de sopa, nada de muito legume porque ele nao aceitava. Com o tempo passou a comer legumes, mas sopa ate hj nao come nem uma colher.

Outra coisa: sei que a historia da papinha industrializada eh bem controversa, mas porque vc nao tenta com a Emilia? A Mariana simplesmente adora, come tudo e fica reclamando qdo acaba. Aqui temos uma linha bem maior do que no Brasil, mas acho que vale a pena tentar. Tenho lido que as papinhas nao tem conservantes, aromatizantes, etc, o que era o meu maior medo no comeco. Sao bem nutritivas e mais adequadas ao paladar do bebe em cada fase.

Eu sei que essa fase nao eh facil mesmo e cabeca de mae eh uma droga mesmo. A gente sempre se preocupa ate com coisas minimas quem dira entao com a alimentacao que eh uma das mais importantes. Mas fique tranquila, daqui a pouco ela vai aceitar algum tipo de alimento. Qto mais tranquilidade vc passar para ela, mais facil sera a adaptacao, principalmente porque vc disse que acha ela bem sensivel as mudancas.

Boa sorte com a saga das papinhas.

Bjs

Lu

Juliana disse...

Amiga, calma! Ela vai comer. No tempo dela mais vai. Aguente firme que logo isso vai passar. Um grande beijo pra vcs.

Kah disse...

Lia, aqui em casa é igualzinho! Sem tirar nem por. Quer dizer, pondo, porque aqui tem uma acréscimo: ela prova (prova, não come), mas só o que nos vê comendo. E é esperta, porque só pede depois de alguns minutos. Papinha própria para ela? Nem pensar, nem abre a boca.
O que tem funcionado, pouco, é dar pedaços na mão dela para ela ficar chupando. Como eu disse ela não chega a comer, mas experimenta que é o que me deixa mais calma. Se eu estou comendo maçã e ela 'pede', eu corto uma fatia e dou, ela ficando provando e brincando.
E em um mês eles mudam tanto, né? Mudam tudo, aprendem coisas novas, crescem.

Enfim, que a Emília coma tudo! Beijos.

Paloma, a mãe disse...

Eu ficava tão agoniada que pedia para outra pessoa dar e ela SEMPRE comia melhor com outras pessoa do que comigo. Aliás, na escola, vc vai ver, eles comem que é uma beleza.
Mas, para a angústia imediata, eu ligaria para o pediatra e pediria mais orientações. Já que ele "inventou" isso, que aguente!
Beijos

Sheila disse...

Em proporçoes diferentes acho que todas nós passamos por isso, um conselho ótimo que eu ouvi de uma mãe que passou um desespero do filhote não comer foi que ela se convenceu de que "criança que tem oferta decomida boa em casa não passa fome"diz ela que foi MUITO dificil aceitar isso mas qnd ela aceitou melhorou... e é incrivel como se a gente esta nervosa elas não comem direito mesmo, quando da uns reverterio aqui em casa eu vou rezando para não ficar nervosa na hora da comida e dsencana um pouco dos horarios e ve se ela come melhor... vou rezar para voces! (não que eu seja uma super religiosa mas Maria tb deve ter passado por isso....hehehe)

calma que vai dar certo!

beijos!

Kelly Resende disse...

Oi Lia, que difícil isso! Aqui nós começamos com as frutinhas e daqui uns 10 dias se correr tudo bem acho que começam as sopinhas. Por enquanto consegui fazer a Clara comer a banana com mucilon, estou dando todo dia pra ela acostumar com o gosto e cada dia ela comeu um pouquinho mais, hoje foi um tantinho bom. Mas as outras frutas e os sucos tb não tive sucesso. Forçando um pouco ela toma uns 20ml de suco.
Minha preocupação é a mesma da sua, a volta ao trabalho. A Clara pega mamadeira numa boa, mas eu nem consigo ordenhar meu leite...
Abraços e boa sorte!

Fabiana disse...

Oi Lia. Que coisa. E eu que pensei que Emília fosse ser a maior comilona.

Tente pelas frutinhas, tente outros sabores. Vá variando. Tudo pra ela ir se acostumando.

E concordo: almoce junto para não ficar mau humorada de fome.

Mas paciência, paciência, paciência. A palavra chave das mães.

Bjos e boa sorte.

Paula Dreger disse...

Nossa Lia, parece que fui eu quem escreveu esse post...rsrs
Te entendo completamente. A minha diferença é que no começo a Bel comia bem e comia de tudo.
Com o passar do tempo ela foi ficando cada vez mais chatinha para comer. E eu no começo fui ficando cada vez mais nervosa. Grande erro pois ela sentia e assim comia menos ainda.
O pediatra pediu vários exames por vários meses, até ele e eu entendemos que o ritmo dela é esse e que não adianta forçar ou ficar nervosa.
Ela nunca fica doente e por isso sei que ela está alimentada de alguma forma. Várias pessoas já me disseram que daqui um pouco ela vai fazer as pazes com a colher. Torço que esse dia chegue logo.
Hoje em dia ela come o que quer, quando quer e da maneira que ela quer. Isso significa que come pouco, é super seletiva e também faz a MAIOR sujeira.
O que eu acho que importa é que a gente aceite como nossos filhos são. Para mim isso foi o mais dificil pois definitivamente não foi como um imaginava que seria a alimentação. Mas já aceitei!
Isso é o que eu posso te dar de dica: aceite. Faça o melhor que puder com relação a variação de alimentos e tenha paciência.
Eu ainda acredito que vai passar e que é só uma fase.
Boa sorte e um beijo,
Paula
http://b-de-bel.blogspot.com/

Tathyana disse...

Eu pensei em outras coisas e queria colocá-las pra vc: sobre a textura da papinha (veja se vc fizer uma textura mais mole ela aceita melhor), outra coisa é vc colocar sempre uma raíz mais doce como abóbora laranja, batata barôa, batata doce junto a outra raíz menos doce pra dar um contraste bacana e por fim tenta dar uma raíz por vez, pra ela sentir o sabor em separado de cada coisa que está comendo, assim vc consegue saber o que mais agrada ao paladar dela. Boa sorte!!!

Renata disse...

Eu não posso "palpitar" porque não tive esse problema com o André, mas li o comentário da Paloma e me lembro que a minha cunhada sempre dizia isso, com as outras pessoas, meu sobrinho comia bem melhor...de repente vale tentar, né?
Boa sorte e não desanime não...
beijos

Micheli disse...

Oi, Lia. Faz tempos que quero escrever um post sobre como foi a minha experiência com a Clara nas primeiras papinhas. Porque não foi tão difícil, mas eu me estressei muito! Não com ela, claro, foi o mesmo sentimento que você. Era tão fácil só amamentar! Ela até comia "bem" no primeiro mês (comecei no sexto) as papinhas, mas aí, aos sete meses, vieram dentes e tudo mudou. Eu perdia tempos e tempos fazendo papinha para ela rejeitar e acabar jogando fora ou comendo eu mesma... Fiquei super mal. Eu mesma não conseguia comer direito, foi um caos. Porém, lá pelos nove meses ela foi começando a comer melhor, já com pedaços e parece que as coisas foram se "ajeitando". Mas bem mesmo ela só passou a comer depois dos onze ou doze meses, quando começou a comer a nossa comida mesmo. Acho que a minhas papinhas super nutritivas não eram tão apetitosas! rs. E suco ela odiava todos, acho que pela falta de açúcar. Só aprendeu a tomar suco com onze meses, antes só água - mas tomava MUITA água, além do peito, que seguia. Por um lado foi bom, porque ela aprendeu a tomar água nos intervalos e o suco ficou sempre para a hora das refeições. Qto as frutas, ela sempre amou banana, as outras comia, mas não era aquela coisa. Hoje ela ainda prefere o suco da fruta que a fruta em sim, uma pena! Come pouca variedade de frutas, mas suco adora todos. Vai entender essas crianças!
Beijos e não desanime, as coisas melhoram com o tempo!

Lia disse...

Meninas, obrigadão pelas dicas e pelas palavras de consolo. Sempre que dá peço pra outra pessoa das as papinhas, mas nem sempre tem alguém aqui comigo, e sou eu que passo a maior parte do tempo com Emília. Isso de eles sentirem nossa tensão é bem verdade, mas é difícil buscar paciência quando se está exausta.

Esta semana vou pedir ajuda, até porque com este resfriado tá dose.

Vamos ver se as coisas melhoram um pouco...

Patricia disse...

Lia,
no começo até que não tive problemas mas hoje em dia a pequena é bem ruim de garfo. O que costuma adiantar é esperar um pouquinho para a fome dela apertar. Aí come que é uma beleza. Quem sabe se pequena Emília não está comendo sem estar com fome?
Boa sorte!!
beijos

Cíntia Anira disse...

Lia, quase todo mundo que escreve aqui, tem experiencia, mas eu, na minha total alienação dessa fase que vocês estão vivendo, já começo a ficar tensa. Guria, e se a minha não comer? Eu não tenho outra pessoa pra oferecer! O que farei? Ficarei estressada, vou chorar, gritar, chamar o chapolin? ó céus...

Neda disse...

Lia, antes de mais nada lembre que nesta fase a comida complementa o leite e não o contrario. Guilherme foi/é muito trabalhoso para comer e a coisa só melhorou depois dos dois anos quando EU assimilei de verdade que de fome ele não ia morrer. Comeu, bem não comeu? Agora de novo só na hora do lanche e não volto atrás. Guilherme também não aprovou minhas papinhas, mas adorava uma papinha Nestlè (Eu também fui assim quando bebê). Dei sem culpa, para mim tanto melhor, durante a semana comia bem na creche (como disse a Paloma a maioria come melhor na creche)e no fim de semana todos curtiamos e eu não me estressava com o que ele comia ou deixava de comer.
Uma dica que eu reforço é a de iniciar, ou dar mais enfase, com tuberculo mais doces, o LM é muito doce (não sei se vc já provou) e acho que eles preferem algo mais parecido.
Por fim, recomendo a leitura do livro "Mi hijo no me come" do Dr. Carlos Gonzalez. Muito elucidativo. Posso te mandar por e-mail em espanhol.
Bjs

Dani disse...

Lia, passei (e ainda passo) por isso com a Nina.
No meu caso, venceu foi a insistência. Mas ela nunca comeu muito mesmo. Até hoje é meio passarinha. Mas engorda, menos que "o normal", mas vai.
Lembro de uma vez que fiquei tão desesperada que chorei por mais de uma hora porque ela não abria a boca!
Agora, perto dos dois anos, é que eu acho que tô começando a entender que isso é dela mesmo e que nunca vai comer uma pratada!
Fé e força por aí. Devagarinho as coisas vão se ajeitando, você vai ver.
Um abraço, querida!
Dani

Fernanda disse...

Lia, não se sinta só! A maioria dos bebês é assim...e depois pega o jeito e come de tudo. O Felipe come toda a papinha salgada, mas ODEIA a fruta. Se eu dou fruta de sobremesa, ele vomita tudo, papinha, fruta... Quanto a agua, sinceramente, não conheço um bebê que adore àgua. O Felipe adora chá. Todo dia de manhã preparo a mamadeira de chá dele e vou oferecendo de tempos em tempos, em temperatura ambiente. Hoje em dia é fácil ele tomar uns 300ml de chá por dia. Mas, faço o chá com a erva/flor/planta mesmo. Nada de saquinho cheio de galho seco. Tenta! Quem sabe ela curte! Boa sorte e vamo que vamo!

Nutrição & Cia disse...

Minha cara tenho até medo de postar um comentário por ser nutricionista e parecer que o que eu escrever é um verdadeiro mundo de alice. Mas passei por isso também e não é facil introduzir alimento pra um serzinho que só conhecia o leite quentinho da mamãe. E almoçar junto jamais fiquei dias e dias sem conseguir comer, ate perdi peso nessa época. Mais antes de tudo querida tenha calma não fique nervosa passa pra ela ai piora tudo. Se quiser um plano diário de alimentação posso te ajudar, não vou fazer nenhum milagre mas posso te orientar. Mande um email pra min psgpatricia@terra.com.br. Fica tranquila.

Nutrição & Cia disse...

Nossa minha cara tenho até medo de postar um comentário de nutricionista e achar que vivo no mundo de alice. É que é bem dificil pra ela que só conhecia o leitinho quentinho da mamãe ter que aceitar outros alimentos. Mas não fique nervosa passa pra ela aí piora tudo. Comer junto, sentar pra almoçar, isso não conseguimos mais mesmo, só se tiver alguém por perto. Sei o que ta passando também passei por isso, mas minha linda comia muito, hoje é extremamente seletiva. É de criança pra criança cada um tem seu jeito perante a comida. Mas se quiser um plano de alimentação e orientação me manda um email psgpatricia@terra.com.br. Não vou salvar a sua vida, mas posso de orientar.

Fabi disse...

Oi Lia,

Eu tentei dar pera raspada para o Gustavo um pouco antes dele completar 6 meses e o resultado? Ele queria pegar a colher achando que era brinquedo e como eu não deixava, ele virava o rostinho para o lado. Tentei até dar com o dedo, por ser mais "familiar" pra ele. Mas sabe o que ele fazia? Cerrava a boca apertando os lábios.
Tentei de novo estes dias, lá em Minas e o resultado foi completamente diferente. Ele fez uma carinha feia, como se a fruta estivesse muito azeda, mas comeu quase metade da pera. Depois comecei a dar a papinha salgada e ele também aceitou super bem.
Acho que tem a ver com a maturidade de cada bebê para comer.
O texto que a Ju publicou aqui http://donachuvisca.blogspot.com/2010/07/yes-eu-quero-banana.html fala bem disto.
Eu vi que você leu e até comentou! Eu achei bem interessante e coerente. Cada bebê tem o seu tempo para sentar, andar, falar e porque não é igual para comer, né? Seis meses é apenas uma referência. Mas conheço bebês que começaram a comer bem antes de 6 meses e aceitaram super bem e outros que com mais de 1 ano, ainda não se adaptaram bem aos alimentos sólidos.
Bem, eu fico aqui na torcida por você e pela lindona da Emília (o que é aquela gostosura toda na foto dos 6 meses dela?)
Bjocas

Paty disse...

Lia, passei e ainda passo por isto.. a Babi piorou MUITO depois que comecaram a nascer os dentes... agora esta um inferno! E ela ja es ta com 14 meses. Mas aqui, nos estados Unidos, ate um ano eles sao mais tranquilos do que no Brasil, dizem que o que alimenta mesmo e o leite! bjs

marianadb disse...

Oi, Lia!
Você já tentou ameixa? O Theo gostava bastante... Eu comprava daquelas ameixas secas e fervi até ficarem beeem molinhas. E ficam bem doces. Aco que vale tentar.... E sobre a mamadeira: testei milhares de bicos, ele não pegava nenhum. Até que testamos uma da Lillo, de bico de latéx que imita o seio. Ele pegou na hora. Espero que te ajude...
um beuio
mariana
www.maedarua.com.br

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.