quarta-feira, 10 de março de 2010

Sobre puns e arrotos

Sem fugir muito à sempre presente temática do cocô, andei pensando sobre as questões digestivas da Emília. Exceto as vacinas e as cabeçadas que ela dá no meu queixo, problemas gastro-intestinais são a única fonte de dor da Marquesa. É aquele choro do fundo da alma, que rasga nosso coraçãozinho mais que qualquer canção do Rei Roberto.

Por isso fico mais que feliz em ouvir aquele arrotão de macho bêbado, ou aquele "fuuuiinnn" do pum. Gases são bons fora da gente, não dentro. E aí comecei a reparar nos meus próprios movimentos digestivos. Eco. Eu achava que não arrotava (mentira, na gravidez eu arrotava pacas). Achava que não peidava (mentira, na gravidez e no pós parto a coisa ficou meio descontrolada, não perdoava nem elevador!). E reparei que, de vez em quando (de vez em sempre), um gasinho sobe mesmo da barriga. Que coisa. E também, de vez em quando, outro gás inodoro e inaudível desce. Mas, como diria um certo livro, tudo certo: até as princesas soltam pum. E fiquei achando tudo aquilo muito lindo. Como a liberação dos gases nos faz sentir tão leves e contentes!

Daí que, por não querer ver minha filha sofrer, cada vez que ela libera um gás, canto por dentro, com a mais sincera alegria, uma música de autoria de um certo artista cearense: "Peide, peide, peide/ não se reprima!"

5 comentários:

Roberta disse...

O que eu fico perplexa é sobre como esses serzinhos tão pequenos e frágeis são capazes de dar arrotos tão altos, soltar puns tão fedidos e fazer cocôs tão monstruosos....

Paloma, a mãe disse...

Pum é tudo para um bebê!
A Ciça, quando bebezinha, soltava pum a todo momento. Pra sorte dela e nossa, porque ela quase não tinha estes desconfortos, tão comuns nos pequenos. Acho que é uma qualidade evolutiva!
Beijos

Jacke Gense disse...

Adorei!!!!
O meu filho de 3 anos diz assim:" Mamãe eu peidi"...rss


bjs

Luíza Diener disse...

puns e arrotos são tudo a vida inteira! ahahahhah!

e grávidas têm licença pra peidar até em elevador.
elas entram na fila preferencial dos gases e sempre passam na frente de todo mundo, até do marido (ok, trocadilho mto mto ruim).

e acho ótimo quando as crianças começam a tomar consciência de seus próprios gases e excrementos e saem anunciando isso por aí.
eheheheh

Ro Souza disse...

Sou do tempo que moças não podem liberar esses sons nem esses cheiros. quando casei meu marido achava graça da minha falta de liberação, ele não acreditava que isso era possível. Realmente possível era, mas a que custo? A gravidez me libertou! E a minha filha não vai ser reprimida.

http://roshouse.com.br

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.