quarta-feira, 29 de junho de 2011

Eco-post

O post com a reportagem sobre separação de lixo deu bastante repercussão. Muita gente se interessou pelo minhocário, então resolvi fazer um post sobre isso e outros assuntos ecológicos.

Sempre tive uma quedinha pelas questões ligadas à preservação da natureza. Quando tinha 10 anos, minha escola promoveu atividades relacionadas à Eco 92. Escrevi uma poesia sobre o tema e fui premiada com vários livrinhos sobre ecologia.

Desde sempre, tento não ser muito nociva ao meio ambiente (porque ajudar... é difícil). Economizar água e energia elétrica foi o começo. Aos poucos, fui vendo o que mais eu poderia fazer pra não estragar tanto o planeta. Começamos a separar papel e levar pra reciclar, passamos a reaproveitar e recusar as sacolas de plástico nos supermercados. E assim, de grão em grão, vamos tentando ser mais ecologicamente responsáveis.

Além desses, segue uma listinha de hábitos que fomos incorporando:

1) Fraldas de pano: quem me acompanha sabe que Emília usa fraldas de pano, quase 100% do tempo (exceções são quando eu me desorganizo com a lavagem e acabam as fraldas limpas, ou quando viajamos).

2) Separação de pilhas, lâmpadas e outros materiais tóxicos para serem descartados em local próprio.

3) Adoção de alimentos orgânicos: meu motivo inicial para buscar os orgânicos foi não consumir veneno. Não existe outra palavra pros agrotóxicos que entopem nossa mesa – muitos deles proibidos em países de 1º mundo. Comecei pelo morango, que é um dos alimentos que mais têm resíduos. Nunca tive coragem de oferecer a uma criança um morango da agricultura tradicional. Aos poucos, foram aparecendo no mercado outras opções, e eu ia experimentando, sempre de olho no bolso.
Descobri então um produtor local de orgânicos que entrega em casa, e achei os preços bem razoáveis. Comecei a pedir semanalmente folhagens, legumes, frutas, sucos, mel, geleia e ovos (de galinha feliz).
Atualmente, toda a salada crua lá de casa é orgânica, bem como a maior parte dos legumes. Frutas, ainda temos de comprar muitas no verdurão, porque os orgânicos têm pouca opção e as frutas são sazonais. Atualmente, por exemplo, meu fornecedor está oferecendo só morango, mexerica e banana.
De vez em quando, morro uns reais em iogurtes naturais e queijos frescos orgânicos (leite de vaca feliz). Revezo com os produtos tradicionais.
Hoje, fico vendo tudo o que consumo e que ainda é cheio de veneno ou hormônios: grãos, farinhas, leite... Espero que a agricultura de orgânicos se fortaleça e tenhamos cada vez mais oferta desses produtos, a preços acessíveis.
Mas voltando à ecologia, hoje compro orgânicos também por questões sociais e ambientais: para que um alimento seja certificado como orgânico, sua produção tem de atender uma série de critérios, entre eles a proibição do uso de produtos que coloquem em risco o meio ambiente e a saúde dos trabalhadores rurais. Fora que, quase sempre, esses alimentos são cultivados por pequenos produtores e cooperativas. Assim, consumir orgânicos é apoiar a agricultura familiar, e não os latifundiários. Mais informações sobre orgânicos neste hotsite feito pelo Ministério da Agricultura (Mapa): http://www.prefiraorganicos.com.br.

4) Redução do desperdício: passei a planejar a compra de alimentos, especialmente os perecíveis, pra evitar que sobrem e estraguem. Pra isso, comecei a fazer compras menores e com mais frequência, monitorar constantemente a geladeira e o freezer em busca de restos e pensar nas refeições da semana antes de ir ao verdurão ou encomendar minha cesta de orgânicos. Também tem que ficar de olho nos grãos e farinhas pra não dar caruncho.
Quando vejo que algo está para estragar, tento consumi-lo imediatamente. Se não der, arrumo outro jeito de aproveitá-lo. Por exemplo: detesto banana muito madura, especialmente se a casca já estiver fina e com pontos pretos. Nesse caso, quando são só uma ou duas bananas, eu asso no forno. Quando são muitas (o consumo de banana é sempre imprevisível com um bebê em casa), parto em pedaços e congelo pra fazer sorvete de banana (receita no blog da Neda). Um espetáculo de sobremesa!
Outra opção é doar pra alguém os alimentos que não vamos consumir. Por exemplo, uma vez pedi ao meu fornecedor, por engano, batata demais. Dei metade pra minha mãe. Outra vez comprei uma farinha de trigo pra fazer não sei o quê e sobrou um monte. Não pretendo usá-la, vai de doação pra mamãe também – que, aliás, foi quem me ensinou a ter pavor ao desperdício.
Outra dica é comprar só meio maço de folhas (rúcula, espinafre, agrião). Meu fornecedor de orgânicos tem essa opção.
Finalmente, estou adaptando a culinária lá de casa pra usar talos, folhas e cascas. Ontem fiz uma farofa de folha de rabanete que ficou uma delícia.
E se não tem jeito e um pão mofa... vai pras minhocas.
Reduzindo o desperdício, a gente também economiza dinheiro. E, com o troco, dá pra substituir por orgânicos os alimentos envenenados!

5) Redução do consumo. De tudo. Menos água, menos luz, menos roupas, menos brinquedos, menos tranqueiras. É necessária uma grande mudança de mentalidade pra nos tornarmos menos consumistas.
Quando estivermos cansadas das nossas roupas, vale dar uma vasculhada no fundo do armário, procurar lenços, acessórios, coisas que não usamos há muito tempo e que podem dar uma renovada no visual. Se realmente não der pra aproveitar nada, se nosso estilo não combina mais com o armário velho, passemos as coisas pra frente – doando ou vendendo pra um brechó. Na hora de comprar uma roupa, também procuro ter certeza de que vai ter um bom uso, e não me deixar levar por uma liquidação. Quantas vezes aquela roupa novinha fica meses na gaveta?
Pras crianças, brechós infantis são o must!

6) E, finalmente, o minhocário.

Sim, dá pra ter tranquilamente um minhocário em apartamento. O meu é o grande, que comporta lixo de até 4 adultos. Comprei nesta loja, que também tem uma versão pequena, para até 2 adultos. Outros fabricantes trabalham com tamanhos intermediários, e buscando no Google também dá pra encontrar instruções para construir você mesmo seu minhocário (são basicamente caixas de plástico com furos).

Não é barato nem rende dinheiro, então não é algo que você adquire pra economizar. Mas, como eu disse na reportagem, é um hobby. Assim como eu amo cultivar plantas. E também é educativo pras crianças.

A Tathy perguntou o que eu faço com tanto adubo. Na verdade, meu adubo ainda não está pronto. Demora em torno de 50 dias pras minhocas transformarem em substrato toda a matéria da caixa do meio e começar a se formar o chorume. Como tenho duas plantas em vasos grandes, além de muitas outras em vasos menores, penso que talvez elas consigam consumir todo o adubo. Diferentemente do adubo químico (que nutre a planta e empobrece a terra), o adubo das minhocas não mata a planta por excesso. Posso usar à vontade (apesar de que uma amiga recomendou, para plantas de vasos, que eu misturasse o chorume com água).

Se eu vir que o adubo sobrou, vai pra doação! As plantas da minha mãe serão as primeiras beneficiadas.

Tem que ter alguns cuidados com o minhocário: revolver o substrato 2x por semana pra arejar e despedaçar o lixo antes de colocar lá dentro, pra facilitar o trabalho das minhocas. Fora isso, não tem segredo. Ele pode ficar dias sem ser abastecido (coisa de um mês, se não me engano), bastando que antes de sair de viagem você encha bem a caixa de lixo.

As minhocas comem qualquer matéria orgânica vegetal, mesmo com bolor, papel (inclusive sujo, como guardanapos usados), folhas secas. De origem animal, elas consomem ossos e cascas de ovos. Não é recomendado jogar carne e laticínios por causa da gordura. Alimentos cítricos devem ser evitados, pois alteram o PH do substrato. Mas você pode colocar cinzas (carvão ou papel queimado) pra reequilibrar o PH.

Pode parecer que faço muito, mas ainda há um longo caminho a seguir. Temos dois carros, dirijo sozinha para o trabalho, tomo banhos longos e quentes (eu tô grávida, vai). Meus projetos mais imediatos são trocar os guardanapos de papel por guardanapos de pano (e usar o mesmo durante uma semana, antes de lavar), reduzir ainda mais as sacolas de plástico e vender meu carro (projeto licença-eternidade 2012). Pouco a pouco a gente chega lá.

É isso. Acabou-se o eco(chato?)-post.

20 comentários:

Tchella disse...

ai que maximo! só q eu morro de nojim de minhoca pode, tipo se uma escontar em mim morro berrando... hehehe eu nao sou fresca, mas néam, minhoca... mas mesmo com isso eu ainda achei mto tri a ideia do minhocario, serinho.

agora conta, depois do segundinho tu nao trabalha mais? :)

Neda disse...

Lia, eu acho o máximo. Aqui em casa quando acho que encontrei o equilibro alguma coisa muda e tenho sempre que contar os comentários do marido que não gosta nada das idas mais frequentes ao super. O desperdício das folhas aqui ainda é um problema, mas eu chego lá. Aqui pude voltar ao velho hábito de só consumir produtos locais (em CV não rolava mesmo). Aos poucos vou descobrindo as coisas.
BJS

Neda disse...

E esqueci de contar que aqui, na cidade de Mendoza, não tem coleta seletiva de lixo! Nem a separação básica de lixo seco e lixo "molhado". Eu tenho onde levar as pilhas, o PET e o tetrapak, mas o resto ...

Fabiana disse...

Ahhh.. eu gostei do post. A gente sempre aprende um pouquinho mais sobre reciclagem. Achei muito interessante todo o lance dos orgânicos.

Bjos.

Jane Garcia disse...

Lia,

Esse post é uma fonte de inspiração! Vejo que tenho muito a fazer!!!
Abraço

Joci disse...

Que legal Lia, eu tb tento fazer algumas coisas, sempre é bom poder ajudar, separo o lixo, tento economizar um pouco em vários pontos, tento não desperdiçar comida e coisinhas assim... a idéia do minhocário é perfeita para nossa casa, moramos em uma casa mesmo, tenho muitas plantas, a casa é alugada, e a terra daqui é muito pobre, uso muita laranja e casca de laranjas por aqui, mas como vc disse que pode ser usado cinza para reequilibrar, então vai dar certo, por que tenho um fogão a lenha, que no inverno, produz tb muita cinza! hehe

Vou dar uma olhada com carinho no minhocário, e claro, tentar fazer cada vez mais...

beijos

Fátima disse...

Que ótimo, precisamos de muita gente fazendo isso também. Aqui em casa também estamos consumindo produtos orgânicos de um sítio que entrega aqui, é ótimo. Fiquei interessada no minhocário, mas não sei se conseguiria, vou atrás de mais informações no gugol.

Beijos!!!

Fabiana disse...

Chato nada!! Adoro! Tenho tentado ser mais ecológica no meu dia-a-dia e as dicas estão sendo HIPER bem vindas!
Beijos
Fabiana
http://2-ao-quadrado.blogspot.com

Thaís Rosa disse...

adorei o post. inspirador!
por aqui, estou me convencendo (e ao maridón) a partir pro teste das fraldas de pano. E temos planos de comprar a minhocasa tb, temos uns amigos que têm e é bem legal.
Mas ainda preciso rever muuuuitos hábitos... e vamo que vamo.
beijoca

Tathyana disse...

Não acho nada de eco-chato esse post e sim eco-útil. Como vc trabalha na anvisa deve ter acesso a esses dados que quero compartilhar com vc, mas vale tmb para os leitores do blog:http://saborsaudade.blogspot.com/2010/09/para-alem-do-bem-e-do-mal.html

E eu aceito doação de adubo tá? Bjssssss

Cíntia Anira disse...

Morango sem veneno tem outro sabor :D

Marina disse...

Lia, pois então que já fui mais disciplinada com isso! Aqui tb tenho comprado verduras orgânicas. Legumes só vez ou outra! Mas como minha mãe tem uma fazenda, consumimos coisas de lá tb (abobrinha, chicória, tomate, pimentão...)!

Quanto ao minhocário, acho bem interessante pra quem tem espaço. Aqui em casa é impossível mesmo! Mesmo pra quem não tem planta, acho q é uma forma bem bacana de se conscientizar e tb de se comprometer!

Eu era uma pessoa de desperdícios culinários! Graças a Deus, isso mudou! Aprendi a fazer ratatás com as sobrinhas, utilizar num último segundo as comidas antes de elas se perderem e, principalmente, de fazer compras no mercado com organização!

Eu faço um rascunho do cardápio da semana tb, isso faz com que eu compre somente o q pretendo consumir. E mesmo qd uma coisa sai do script eu improviso e salvo o cardápio! rs

Qt às fraldas de pano, aqui não nos adaptamos! Infelizmente!

Bjs,
Marina

Casa em Alphaville Lagoa dos Ingleses disse...

Eu também tenho um minhocasa e reciclo todo o lixo orgânico tb... mas como vc disse, não rende nada além da consciência mais tranquila.

Outro dia fiz um curso rápido de como aproveitar todo o alimento e a professora passou essa receita de bolo de casca de banana. Pode parecer estranho, mas ficou excelente!

Bolo de casca de banana com chocolate e ameixas

Ingredientes

4 unidades de casca de banana (nanica ou mais ou menos essa quantidade de casca de outra banana)
1 xic chocolate em pó (opcional)
1/2 xic ameixas secas (opcional - pode colocar qualquer outra fruta seca tb, castanhas, etc.)
2 ovos
2 xic leite
2 col (sopa) manteiga (ou 3 colheres de óleo)
2 xic de açucar (ou 1, se achar q fica muito doce)
3 xic farinha de rosca
1/2 xic de quinoa em grãos ou linhaça
1 col (sopa) de fermento

ps: a linhaça deve ser batida (processada), pq o organismo não digere ela inteira
ps2: a quinoa deve ser fervida, para tirar a saponina (veneno)

Bater clara em neve e separar.

Bater no liquidificador as cascas bem lavadas, as gemas, o leite, a manteiga, o açúcar.
Despejar numa vasilha e misturar o chocolate e as ameixas já hidratadas (e o que mais quiser colocar).
Misturar delicadamente as claras em neve e o fermento,
Colocar em assadeira untada com manteiga e farinha (ela usa a mesma farinha do bolo, ou seja, a de rosca)
Assar em forno médio por mais ou menos 40 min.

provem e depois me contem.

Kelly Resende disse...

Oi Lia, muito boas medidas que vc já toma, acho o máximo o minhocário, tenho vários amigos que tem. Pra mim não dá muito certo pq raramente cozinhamos, então acho que elas morreriam de fome. Qdo eu estava de licença e faziamos comida tb pedíamos organicos da Malunga em casa, eram muito bons. Em breve nos mudaremos e estou pensando em dar um jeito de recomeçar, vamos ver. Vc pede deles?
Beijos

Mariana - viciados em colo disse...

não achei chato, não, lia...
achei suas medidas factíveis e até práticas. fiquei feliz, porque mesmo sem saber já faço muita das coisas que você falou.

estou sofrendo com a separação do lixo. implantamos no outro prédio onde eu morava. mas neste que moro há 18 meses, não rola. assim que cheguei, eu separava o lixo toda feliz e o servente juntava.

já pensei em formar uma comissão para implantar, porque no bairro tem coleta, mas aqui só tem velhotinha-metida-a-rica-cheirando-a-talco-com-a-cabeça-cheia-de-laquê que não dá o menor ibope para o futuro do planeta - nem me pergunte se elas tem netos... tenho tanta preguiça de lidar com meus vizinhos briguentos que parei de ir nas reuniões.

acho que ainda estou há anos-luz do minhocário (nojinho), mas outras medidas acho que podemos, sim, tomar!

Beijoca e adorei!

Débora disse...

Lia,

Você pode me dar o contato do seu fornecedor de orgânicos aqui em Bsb? Meu e-mail é debsdias@yahoo.com.br.
bjos e parabéns

Cin disse...

Orgulho de vc...vou me esforçar pra melhorar tbém. Bjos!

Nuana disse...

Eu separo o lixo....já ;e alguma coisa...o restante ainda irei fazer....sou sincera e meio malandra pra isso, mas tudo tem a sua hora..e quem nao gostar vem aqui em casa e faz///
Lia, tem uma tag pra vc lá no blog, passa lá....bjo com carinho/Nuana

Rapha da Alice disse...

Não achei nada chato, achei super necessário e incentivador!
A Alice usa fralda de pano e os orgânicos estamos começando a incorporar na nossa mesa, mas o preço é bem salgado e as frutas realmente fazem falta...
Mas vamos levando!

Beijos e parabéns pela iniciativa super válida!

Rapha, mãe da Alice
http://maternarconsciente.blogspot.com/

Tchella disse...

eu tbem acho organico caro sabe... aqui eu gasto no minimo 200 reais mensais com frutas e verduras, se forem organicos... ih nem sei... eu separo lixo, tento ficar sempre de luz apagada o marido até reclama as vezes, pq vivo na penumbra haha, durante o dia que estamos só o lucas e eu, nao fica nada ligado.

eu queria te dizer, que tu és uma guria especial. Sempre me acrescenta algo, seja nos teus posts, seja nos teus comentarios, seja por email :) continua sempre assim, sincera e com esta tua disposiçao em dividir, em acrescentar, fazes um bem que nem imagina!

teu comentario de hoje lá no blog, foi motivador, porque é isso que eu penso, mas nao sabia organizar meus proprios pensamentos, acredito que a alimentaçao deve complementar a amamentaçao, e assim tem sido, mas muita gente comenta que ele mama demais e eu cheguei ficar em duvida, muito obrigada :D

teria mais coisas para escrever mas preciso atender o pequeno principe! um beijo

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.