quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Ensinando

Então é mesmo a crise dos 8 meses. Meninas, obrigada demais pelos comentários. Apesar de que meu feeling já me dizia que era temporário, que tinha a ver o algum salto de desenvolvimento, ouvir as experiências de vocês deixou tudo muito mais claro e me deu a certeza de que estou no caminho certo. Dar muito amor, carinho, atenção e banhos (dica da Kah).

E de fato o salto que Emília vem dando não é apenas motor – aprender a engatinhar –, mas também cognitivo. Não me lembro quando, acho que ali pelos 3 ou 4 meses, ela começou a reparar em tudo e querer pegar tudo. Eu até brincava de cantar a música da Amélia: “tudo que você vê, você quer...”. Agora, parece que outra janela visual se abriu.

É como antes ela tivesse um campo de visão de 90º, e agora ela enxerga em 180º. Coisas que ela nunca tinha observado agora chamam a atenção, como o vapor d’água que sai do umidificador, as tomadas, o ventilador. E aqui começa o assunto deste post: Emília começou a ficar perigosa, para si e para os outros.

Chegamos a um momento em que temos de começar a ensiná-la. Antes, Emília era um bebezinho inofensivo, que tínhamos de proteger das crianças maiores. Agora ela representa um perigo enorme, porque tem força, mobilidade e acuidade visual pra fazer estragos, mas ainda não tem noção do que machuca e acha que tudo é brincadeira.

Na última reunião de pais na creche dela, surgiu o assunto mordidas. A psicóloga contou de uma criança que vinha mordendo sistematicamente os coleguinhas, e conversando com os pais descobriu que em casa eles brincavam de morder. Então a criança considerava aquilo super legal, e não entendia por que os coleguinhas e as educadoras não achavam a mesma coisa. Aquilo nos deixou em alerta e exigiu que mudássemos nossa postura pra evitar que Emília se tornasse uma mordedora, uma puxadora de cabelos ou uma “batedora”.

Olha que legal. Emília pega um brinquedinho e bate na nossa cara, repetidas vezes, com o maior sorriso e um olhar serelepe. Gente, é super engraçadinho, não dói, é lindo. Mas imagine se o brinquedo for grande, pesado, duro, e ela resolver fazer isso no rosto de um coleguinha? Então eu tenho de me segurar pra não rir, reforçando positivamente essa atitude. Mesma coisa quando ela puxa nosso cabelo (brincadeira que o Rafael incentivou muito no começo, colocando a cabeleira à disposição e declamando aiaiaiaiaiai! na maior alegria), quando aperta nosso nariz ou quando nos morde.

Daí vem uma técnica que o Rafael aprendeu naquela mesma reunião de pais e mestres. Sempre que possível, em vez de dizer “não pode” – o que torna o fruto proibido ainda mais interessante – , oferecer uma outra alternativa à criança. Por exemplo: quando ela bate no meu rosto com o mordedor, eu pego o bracinho dela e começo a fazer o mesmo movimento no braço do carrinho. “Bate aqui, meu amor.” Ela continua toda sorridente, golpeando o carrinho. Em vez de puxar o cabelo, “puxa esse paninho aqui, minha linda”. Em vez de morder nosso braço, “morde aqui essa almofada, Florzinha.”

Acho que a chave é não reforçar positivamente atitudes que possam se tornar problemáticas lá fora, por mais fofinhas que elas pareçam em casa. Minha moça cresceu...

+++

E por falar em mordidas, no último fim de semana identifiquei uma marca de dentes no braço de Emília. Conferi a forma e constatei: a mordida foi dela mesma. Pense na dor do meu coração...

11 comentários:

Val disse...

Ai, Lia... Como eu queria que a Florzinha tivesse nascido antes do Arthur, pra vc me ensinar essas coisas todas, que tive que aprender na dura, e só depois que as fases passaram... Vou tomar nota de tudo e fazer um backup do seu blog, para o caso de eu vir a ter um segundo filho.
Além de ensinar à Emília, vc está ensinando a mim tb. O outro post sobre evitar o problema, tbfoi excelente. Esse eu aprendi à força mesmo, e ainda me serve muito. Obrigada.

Bjos em vc e na Filhota linda-e-maravilhosa.
Saudades dos vídeos dela.

Roberta Lippi disse...

Também passei por algumas fases dessas com a Luísa. E olha que eu trabalho em casa e, em tese, não haveria motivo para esse "aumento do grude", já que ela sempre foi grudada. Mas acontece. Elas não querem deixar a gente fazer nada sozinha, né? Mas como bem definiu a Dani, isso passa. E depois volta, hahaha. Nada é definitivo nessa maternidade...
Dá muito beijo mesmo porque logo ela já vai estar enoorme.
Em relação a perigos, eu acho que o mais difícil dessa idade que a Emília está são os perigos na casa, porque eles começam a engatinhar e a andar e a gente tem que ficar em cima 100% do tempo pra não se machucarem.
bjs

Mamãe Nathi disse...

O caminho é esse mesmo.
Precisamos ensinar.

Beijos***

Kah disse...

Graças a Crise dos 8 meses fiquei com um corte estilo Kristen Stewart. hahahahah
Cansa, dá vontade de se atirar pela janela, mas passa.

Sabe uma coisa que ajudou aqui em casa nessa fase? Tem um pilar na sala daqui de casa, daí eu me escondia atrás e aparecia, escondia e aparecia. No começo ela dava uma choradinha, mas quando entendeu o espírito da coisa virou diversão.

Mas até isso vira contra você, já vou avisando. hahaha Depois de um tempo ela descobriu que pode me achar sempre e começou a me seguir. Se antes eu podia ir deixa-la com o pai e ir tranquila fazer xixi, depois da crise ela aprendeu a ficar na porta esperando me achar.
*
Essa história da mordida é compleeeexaaa...
O papis da Dona Juh tem mania de pegar ela e dar umas mordidinhas na barriga, ela acha lindo, gargalha e quando está chorando pára. Maravilhoso, né? Solução de todos os problemas. Só que ela é esperta e faz um tempo que descobriu que quando repete nosso gesto recebe atenção. Preciso dizer o resultado? Minhas pernas estão cheinhas de mordidas banguelas. hahahaha
Beijão!

Tathiana disse...

Bom, o meu, que já é maiorzinho (1 ano e 10 meses), sabe q não pode morder. Mas morde qd faz pirraça, quando sua vontade não é atendida. pior eram as cabeçadas (que começaram por volta de 8 meses). Genioso que só, não só nos cabeçeava, mas metia a cabeça em qq coisa dura pra chamar atenção qd a coisa não estava como queria. Ai, como é preciso ter paciência (tô com a marca de uma mordida q ele me deu no domingo!). Mas acho que meninos são mesmo um pouco mais agressivos (me diziam e eu não acreditava... rs).
Boa sorte.
Bjs.

Pinguinho da Mamãe disse...

Oi, Lia...
Estas crianças...
A Fê, outro dia, no banho, mordeu os dois joelhos tão forte, que ficou a marca, tb...
Até hoje não entendi o porquê???kkkk
Bjs
Ju

Paloma, a mãe disse...

É por estas e outras que a licença-maternidade deveria durar pelo menos 1 ano. Eles precisam muito de nós (e nós deles) aos oito meses. Fora a ansieddae da separação, é uma época de muito aprendizado. Só tenho boas lembranças desta época da Ciça e lembro de ter querido tirar férias para ficar com ela,mas não tinha mais direito.
Beijos

Marina Fiuza disse...

=)

Mamma Mini disse...

É Lia, tudo parte do crescimento da mini pessoa, e claro que depende tudo da gente, o baby é um ship vazio que a gente vai inserindo todos os "arquivos" né? Temos um árduo trabalho diário, trabalho de formiguinha para torná-los pessoas especiais, queridas, bem educadas, com valores, o case das mordidas realmente, comportamento é algo que se aprende em casa, eu nunca mordi o David nem meu marido e ele nunca mordeu ninguém (ainda) nem apareceu mordido, mas tenho amigas que mordem os babies e volta e meia eles dão aqueeeeeeeeeeeeeeeelas mordidas... essa fase de engatinhar e depois treinar para andar, é a que dá mais trabalho e mais dor nas costas, vc tem que ficar em cima 100% do tempo e deixar sua casa o mais segura possível, a Emília é menina, em teoria são mais calmas, aqui em casa o David é um terror, sempre subia em tudo, já caiu muito, já se machucou muito mas nada grave, mesmo a gente ficando super em cima é uma fase que requer muita atenção, mas a gente tira de letra, a gente é mãe, tem feeling e dedicação, adorei a atitude de vcs de mudar o foco para outra coisa e não reforçar a atitude, muito legal... ah, adorei sei coment no blog, realmente aquele fase foi difícil e eu mesma questionava o pediatra ao ficar me fazendo dar mamadeira com o peito cheio de leite, porque era um sofrimento para ambos, mas enfim, já passou, mas é bizarro mesmo... e quanto ao grude do post anterior, aqui em casa apelidei meu filho de Dudi Grudi ou seja, imagina o chicletinho como é... se vc encontrar um jeito de desgrudar me avisa! rs bjs!

Carol Garcia disse...

Lia,
fases e fases... a vida toda...
eles grudam num dia, no outro quase nem notam a sua presença.
isaac já está na fase de querer ignorar a mãe, faz questão de fingir que não estou alí. es´po 5 minutos e logo tenho um filho beijoqueiro melequento grudento de tanto amor. adoro.
o post da kah sobre os saltos de desenvolvimento também foi muito útil aquia em casa.
e as mordidas... ainda bem que estamos mais tranquilos com relação a isso na escolinha, mas isaac já encontrou sua "gangue" em pleno mini maternal e estou até esperando como é que vai ser a próxima reunião semana que vem.
bjo bjo

Journal de Béatrice disse...

Oi Lia!!
To ausente de tudo... AI ai... Reformas em casa, po para tudo qto é lado, tira parede, coloca parede com isolamento.. Tira cartepe velho, troca por piso... Aaaaaafff... Nao vejo a hora de td acabar. Td isso seria mais ameno se nao tivessemos a Béatrice bebe em casa, que agora deu para ficar encantada com apetrechos do pai: martelo, parafuso, fios... Da pra imaginar ne!!!
Mas olha, a ansiedade da separaçao acho que começa aos 8 meses e a "crise" é daquelas! Mas depois vem mais (ahahha). Agora estamos na fase de ela nao querer que eu fique no comutador e na cozinha fazendo coisas. Eh um tal de choramingar, de ficar grudada nas minhas pernas e haja paciencia! Eu senpre bato na tecla de que sao fases e nos, maes, quando aceitamos e entendemos que os nossos bebes sao seres dependentes. Eh preciso passar por isso para, depois, tornarem-se independetes e seguros. E muito carinho, conversa, explicar e previnir as nossas açoes (explicar tudo que estamos fazendo, que estamos perto, que voltamos, etc). Ja ja lerei as novidades e grandes progressos de desenvolvimento da Emilia! Beijossss e segura a onda ai!!!!

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.