terça-feira, 14 de setembro de 2010

Dois pontos de vista

Você chega em casa exausta de um dia de trabalho e seu filho cheio de dentes quer mamar. Você dá o peito e ele se pendura. Mama, mama, mama, os dentes vão roçando dolorosamente suas auréolas. Seu pescoço dói, seu braço dói, suas costas doem, mas seu filho não para de mamar. Você tenta de vez em quando tirar a boca dele do seio, quando ele diminui o ritmo de sucção, mas ele percebe a manobra e começa a sugar com mais vigor. Você desiste, com medo de levar uma dentada, e volta a tentar mais tarde. Seu filho parece que vai mamar pra sempre, e você está cansada.

+++

Chego em casa exausta de um dia de trabalho e minha Emília com quatro lindos dentinhos quer mamar. Dou o peito e ela se pendura. Mama, mama, mama, os dentes vão roçando delicadamente minhas auréolas. Relaxo o pescoço, enquanto olho pra ela. Apóio sua cabeça sobre um braço, enquanto com o outro acaricio suas coxas gordas. Afrouxo a musculatura das costas, enquanto aproveito pra treinar a respiração abdominal profunda. De vez em quando ela diminui o ritmo de sucção, e cogito tirá-la do seio. Em vez disso, prefiro deixar que ela faça suas pausas, enquanto aproveito pra fazer a minha. Naturalmente, ela volta a sugar depois de alguns segundos. Minha filha parece que vai mamar pra sempre, e eu estou extasiada.

19 comentários:

Patricia disse...

Postei algo parecido há um tempo atrás. É a filosofia de vida que eu acredito. Ou a gente vive usando esse seu segundo ponto de vista ou a vida fica muuuuuuuito chata.

bjsss

Beta, a mãe disse...

Lia, sinceramente acho que eu me identifico mais com o primeiro ponto de vista. Já estou tão acostumada com a mamadeira e a liberdade que ela dá que eu não imagino como é a vida de alguém que tem o bebê pendurado no peito o tempo todo. Claro que eu acho super legal quem se doa assim como você eu acho super fofo mesmo. Beijocas.

Roberta Lippi disse...

Muito bom. É assim que funciona. Podemos contar ou enxergar a mesma coisa de jeitos diferentes, nós é que optamos. Nem sempre é possível, lógico, porque às vezes nos esgotamos mesmo, mas se não existe outra alternativa, vamos ver a vida de forma mais leve! Tudo fica mais fácil.
Beijos

Dani disse...

Prefiro a segunda parte!
Engraçado, né, Lia, como é tudo ponto de vista mesmo.
Tem uma conhecida minha que tá grávida também. Pouca coisa na minha frente. Outro dia, estávamos conversando e ela dizia: tô cansada, minha barriga dói, não consigo andar direito, tenho dificuldade para dormir.
E vc? Perguntou ela prá mim. Eu...ai tô querendo começar a arrumar o quarto da Alice...Nina..filha..não pula tào alto no pula-pula...saio correndo abaixo e pego a Nina no colo e cubro ela de beijos...então...voltando ao assunto...tô ótima...pensando nas cores... Ah...a barriga...tá aqui...redonda...menina...comprei um biquini combinando com o da Nina...
Não consigo Lia. Não faz parte de mim. Só sei ser assim!
Bj, querida!
dani

Mamãe Nathi disse...

:)
Gostei!
É assim mesmo, a gente 'troca as lentes' e vai enxergando a vida (maternidade) mais colorida!
Eu prefiro assim!!!

Beijos***

Carol disse...

eu tb prefiro a segunda parte, embora sempre caia na primeira.

mas a vida nao fica tao mais bonita e fácil qdo a gente se arrisca a pensar só em coisas boas? eu acho.

beijos!

lolo disse...

Bela inspiração para a mamada das 3h da manhã

Pinguinho da Mamãe disse...

Muito bom, Lia..
Se soubessemos sempre pensar neste segundo ponto de vista, tanta coisa seria mais fácil na vida...
Não é fácil, mas não custa tentar...
Bjs
Ju

Kelly Resende disse...

Bem legal esse lance do ponto de vista. Eu oscilo entre os 2, mas tenho muito mais paciencia com as mamadas da Clara do que eu pensei que teria, é tão gostoso sentir aquela mãozinha me acariciando! Ah, e agora começo a sentir o roçar de dentinhos, que medo!
Agora ela quase não toma mais complemento, é só peito e comidinhas.
Abraços

Mamãe da Dudinha disse...

Pior que nem trabalho fora de casa, e me pego pensando pelo primeiro ponto de vista, coitados de nós réles mortais se ficassemos só sob 1 ponto de vista, a vida não teria graça, comigo acontece assim nessa ordem, primeiro sempre reclamo do cansaço (defeito meu) e depois me lembro que sempre há o outro lado da moeda..
bjão

Neda disse...

Hehehehehehe
ACho que tudo depende do dia, de como estamos. Eu pelo menos passei pelos dois pontos de vista, e passados pouco mais de dois anos ainda me lembro das dois sentimentos. Quem sabe no futuro consigo focar mais do segundo ponto de vista.
Bjs

Ana disse...

Tudo na vida é assim né?
A gente que escolhe como ver as coisas.
Beijos!

Carol Garcia disse...

E a vida podesim, ser maravilhosa tooodos os dias.
bjo

Barbara disse...

Eu conheco gente que passa a vida inteira no primeiro paragrafo. E depois nao entende como eu nao achei a gravidez ou a amamentacao as piores coisas do mundo. Ora, porque eu TENTO viver no segundo paragrafo. Nem sempre consigo, eh logico, mas tento :)
Parabens para vc pelo ponto de vista (sorte da Emilia que vc faz isso)
Barbara - www.baxt.net/blog

(Mamãe) ~Pinel disse...

Às vezes penso parecido com o primeiro ponto de vista, mas na mesma hora, quando olho para baixo e vejo minha pequena mexendo as bochechas mentalizo para enxergar tudo pelo segundo ponto de vista, e consigo!

Não é fácil pensar assim, mas vale a pena quando conseguimos, até o cansaço passa, ou pelo menos desfarça!

Beijo!

Tathyana disse...

Ainda bem que existe um dia após o outro. Porque tem momentos que a realidade se parece com o seu primeiro relato, mas na maioria das vezes a nossa experiência se faz como na segunda forma que vc escreveu.

Bjssss e mordidas nas coxas da pequena Mimi!!!

Beuescu disse...

Tão linda minha irmãzinha!

Aqui na Cozinha - Patty Martins disse...

Estou passando para te convidar para participar de um sorteio que estou fazendo no blog, são produtos Ovomaltine. TE aguardo lá.
Beijos
Patty

Christianne Alcântara disse...

Deixei um selinho para você no Coisa de mãe (www.coisademae.blog.br).
Bjs.
Chris

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.