sábado, 9 de janeiro de 2010

Enquanto espero

Sábado. Rafael foi levar o carro à oficina. Acordei com o despertador e ele só foi levantar meia hora depois. Fiz ginástica e alongamento, esquentei água pro chá, coloquei o pão no grill e fiz ovos mexidos. Ele se sentou à mesa para comer comigo; eu, meu sofisticado café da manhã; ele, iogurte com granola kellogg's.

Estaria sozinha em casa se minha irmã não estivesse dormindo no quarto ao lado. Estou na sala, sentada no sofá, com o computador apoiado sobre uma bandeja daquelas com pernas, projetada para refeições na cama. Vejo pela varanda o topo dos prédios baixos de Brasília e o céu bem claro. Bate sol na rede de teto que fica na varanda, onde eu talvez estivesse lendo se não fizesse tanto calor.

Minha barriga encosta na bandeja. Em alguns dias não estarei mais grávida. Tentei passar a semana vivendo normalmente, a fim de evitar a ansiedade da espera. Ontem recebi um casal de amigos, com uma filha de cinco meses. Em alguns dias, minha filha estará fora do ventre como a pequena Luiza.

O dia está tranquilo. Ouço os pássaros. Acordei com as costas doendo e com vontade de passar o dia descansando. Pego um livro que já conheço e que escolhi ontem para passar o tempo nesses últimos dias. “Mutações”, de Liv Ullmann, atriz norueguesa que foi casada com o cineasta sueco Ingmar Bergman. O livro é leve, bem traduzido, gostoso de ler. Ela fala sobre ser mulher, com todas as suas implicações: carreira, maternidade, amor, sonhos. Ela me inspira e me distrai.

Como é bom ler os textos dos outros! A vida, assim escrita, ganha outra importância. Sobe da categoria do ordinário ao extraordinário, simplesmente por estar registrada em palavras. E tento fazer isso com este momento. É sábado, faz sol, e estou sentada no sofá da sala, olhando pra varanda, com o computador apoiado no colo sobre uma bandeja com pernas. É janeiro, minhas costas doem, minha cintura tem mais de um metro de circunferência, e minha irmã dorme no quarto ao lado.

De vez em quando um passarinho passa voando em frente à varanda. Tenho medo de que algum se choque contra o blindex. Já aconteceu antes, o Rafael presenciou a cena. Depois da pancada, o bichinho caiu no chão, deu um último pio e expirou.

Ouço o ruído da chave na porta. Rafael chega e diz que o carro deve ficar pronto ainda esta manhã.

E ainda esta manhã deve chegar o sofá cama que compramos semana passada para receber meus sogros. Eles vêm conhecer a primeira neta.

Fico pensando que estou vivendo um daqueles momentos mais cruciais da existência humana. Aqueles que é necessário registrar. Aqueles que o universo gravará em pedra e ficarão disponíveis para contemplação por toda a eternidade, porque são preciosos demais para se perderem no tempo.

Hoje há uma criança dentro de mim, uma pessoa completa. Ela ouve, se move, percebe mudanças de luz e saberá respirar assim que estiver ao ar livre. Ela não é muito diferente do que será quando ouvirmos seu choro pela primeira vez. Dizem que este é o momento em que ela virá ao mundo. Pra mim, ela já veio ao mundo há muito tempo. Desde que vi seus dedinhos pela primeira vez na ecografia – ela tinha apenas umas dez semanas de vida –, tive a certeza de que ali já havia uma alma, um serzinho humano. “Se o mundo acabasse hoje”, pensei, “ela ia viver no céu como nós.”

O Rafael senta no sofá ao lado com o livro da Encantadora de Bebês. Ele começa a comentar o livro comigo. Não estou mais sozinha. Não ouço mais o silêncio. Fecho o computador e decido parar de registrar a vida para ir vivê-la.

8 comentários:

Cath disse...

Essa espera é angustiante e ao mesmo tempo maravilhosa né?! Nas vésperas do Matheus nascer eu passava o dia contemplando a barriga e pensando em como passa rápido!
Curte bastante essa barriga porque depois você vai passar muito tempo sem nem conseguir pensar nela, pois você não vai ter tempo nem olhos para mais nada a não ser a querida Emília.
Beijos e boa hora!

.justlow disse...

Gostei , já vi algo do tipo em algum filme só não lembro do nome
bjs ;*

Juju disse...

Oi Lia!
Ainda não tinha comentado no blog, mas acompanho tudo desde quando ainda não sabíamos que o seu bebê era a Emília.
Gosto muito do jeito que você escreve, acho leve, fácil de seguir e fico feliz em saber que ela está quase chegando.
Mas resolvi dizer alguma coisa hoje pois nesta semana descobri que minha tia (e madrinha) está grávida!, e acho que ia ser muito bom pra ela ter informações como as que você coloca aqui.
Então eu queria te avisar que vou mostrar seu blog pra ela, e tenho certeza que ela vai gostar, e também te perguntar quais sites você recomendaria pra ela ler...
Beijos, Juliana.

Fabiana disse...

Haja criatividade para inventarmos coisas para nos distrair do verbo "esperar".
Rsrsrsrs.
Eu estou com 34 semanas e já começo a inventar. Rsrsrsrs.
Bjokas.

Laura disse...

Querida,

Entro aqui diarimente e devo confessar que estou quase tão anisosa quanto vc.
Me lembro dos dias que antecederam meu parto, a exatos 1 ano (CLara completa 1 ano dia 13 de janeiro)
O sue post me emocionou mto e se permite um conselho: viva intensamente esse ultimos dias em que vcs são uma só, os dias que antecedem o nascimento do maior amor que vc vai poder sentir, o amor infinito, viva intensamente os ultimos dias em que vc ainda é vc, porque em pouco tempo vc se transformará, o mundo será tão diferente pra vc, muitas coisas que hj sao importantes, perderão a importancia e tantas outras coisas assumirão significados imensos.
pode ser que nesse exato momento a Emilia já tenha vindo ao mundo.... por isso muita muita muita boa sorte a todos vocs

Saiba que vc ganhou uma nova amiga e a Emilia ganhou uma tia e uma amiguinha - a Clara

Grande beijo

Paloma, a mãe disse...

Adorei te ver no fim desta espera. Vc está ótima, super ativa, super informada, supermãe. Vai dar tudo certo!
Beijos

Carol disse...

lindo texto.

vi suas novas fotos, gostei mto!

e como a mocinha Laura aí em cima, eu tb to ansiosa, entro aqui todo dia pra ter notícias suas!!!

tava postergando uma coisa boba que queria te dizer: quero te desejar que vc tenha uma boa hora! (hehehe, me senti como a minha vó agora falando isso). Mas é verdade! Que tudo corra perfeitamente bem, com muita saúde e leitinho!

beijo grande!

Camila disse...

Gostei foi do detalhe: ginástica e alongamento! A essa altura do campeonato significa que você está uma grávida "atleta"!!! Mais um pouquinho de paciência e chega a "dona" Emília! Beijo

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.