quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Segundo dia na creche

Estou só a bagaça. É acordar cedo, amamentar, ordenhar, (tentar) tomar café, arrumar malinha de Emília e rumar pra creche. Pior que esta semana se acumularam todos os médicos do mundo: GO na segunda, pediatra ontem e dermalogia hoje pra reavaliar a herpes. E me fizeram esperar mais de uma hora no consultório com Emília no colo. Só não fui embora porque minha mãe não deixou, disse que eu tinha que fazer a reavaliação pra não ficar com cicatriz. E eis-me aqui moída, triturada, e pronta pro terceiro dia de adaptação na creche.

Hoje correu tudo muito bem. Cheguei, dei o lanche na salinha e deixei princesa com a tia. Enquanto isso, fui conversar com a nutricionista sobre o fato de que Emília ainda come muito pouquinho e está com dificuldades pra tomar líquidos no copinho. Ah, e claro: e sobre as restrições alimentares, já que nossa família é vegetariana. Depois da conversa mal tive tempo de abrir meu livro e me chamaram pra dar banho em Emília. O segundo dia é assim: a mãe dá o lanche e o banho pra educadora ver como é feito em casa. Quando abri a porta da salinha, vi Emília toda boazinha sentada no tatame, brincando com a tia e os coleguinhas. Meu sorriso quase rasgou minha orelha.

A educadora disse que Emília se comportou muito bem, que ficou no parquinho interagindo com as outras crianças - todas maiores, que ficavam fazendo carinho nela. Muito bom ouvir isso.

Amanhã Emília fica lá a manhã inteira, e minha única preocupação é quanto à alimentação dela. Eu estarei lá e posso dar o peito em caso de emergência, mas seria muito bom se eu não precisasse ser chamada. Ainda não sei se deixo o leite pra tia dar ou se fico só de fora vendo se ela aguenta com o lanche e o almoço. Meu receio é que quem vai dar o almoço sou eu, e temo que me vendo ela só queira mamar. Se eu deixar o leite, por outro lado, não sei se ela vai tomar no copinho. Se não tomar, joga-se fora. Aí é chorar o leite derramado literalmente. Só quem ordenha sabe do que eu estou falando.

Enfim, amanhã veremos. Mas estamos indo bem.

+++

Depois de comer maçã no dente, agora Emília bebe água em taça de vidro. Coisas da minha mãe. A gente não pode dar as costas que está ela lá, no colo da avó, sorvendo a água da taça igual bezerro bebe em riacho. E, obviamente, toda molhada. "É bom que refresca", diz minha mãe. Ok. Da próxima vez vou escolher uma bela taça de cristal para vinho Bordeaux.

7 comentários:

Roberta Lippi disse...

A gente sofre muito mais do que eles, né, é impressionante.
Bom que está dando tudo certo. A Emília também é uma fofa da Fofolândia, né?
Beijos

Nutrição e Cia disse...

A adaptação é assim mesmo enche a gente de dúvida, dou leite, fica só com a comida, em fim. Mas a nutricionista do lugar pode te dar umas dicas e principalmente orientar horário ai da ate pra encaixar o leitinho tirado da mamãe. Lia ela não usa mamadeira? 2010 bjs

Micheli disse...

Oi, Lia.
Eu tirava leite qdo precisava deixar a Clara com minha sogra para trabalhar em um evento, com ela ainda bem pequena. Ela só era acostumada com o peito e isso acontecia com uma frequencia de uma ou duas vezes no mês apenas. Ainda assim, na hora da fome, ou ela mamava o leite, ou passava fome. Uma dia tomou em copinho, outro de colher (foi o único jeito que conseguiram), por fim ela aceitou uma mamadeirinha. Rejeitava de início, depois pegava. Mamava menos que no peito, aí, qdo me via, horas depois, compensava.
Como a Emília vai ficar a semana toda, no começo pode não aceitar o copo, porém, sem vc por perto, vai acabar aceitando, sim. Não vão precisar jogar o leite fora, vc vai ver!
As crianças tem um poder de adaptação melhor que a gente! rs.
Beijos.

Anna disse...

Que bom que a adaptação vai indo bem. Quanto a alimentação, eles costumam comer melhor na creche do que em casa. Em casa querem peito, querem brincar, querem colo...

Boa sorte pra vocês!

Beijos

Mãe do Pitoco disse...

Lia, a adaptação da Emília tá indo super bem, que maravilha! Quanto à sua dúvida, na minha experiência percebi que quanto menos ele me via na escola, mais calmo ele ficava, portanto, se posso dar um palpite autorizado por vc, tentaria pedir para que a tia dê a comidinha e vc se afaste, pois ela ainda associa vc a mamá. Até hoje, se não me vir, Pitos fica ótimo, mas se vir a pontinha do meu cabelo atrás da pilastra, arruma uma confusão e não desgruda, não faz atividade nenhuma, e já observei que com a maioria das crianças é assim. Beijos nas duas.

Neda disse...

Lia
Eu tinha exatamente as mesmas preocupações que vc. quando o G começou na creche. Pela minha experiência e vendo as outras mães que passaram por isso junto comigo, as crianças tendem a comer melhor na creche por se tratar de uma atividade coletiva e bebem no copinho sim. Eu não conseguia fazer o G beber no copinho em casa, mas na creche ele sempre bebia bem com o copo. A mamadeira só entrou aqui em casa quando o G desmamou (perto dos dois anos) e foi por que ele esteve muito, muito doente e não tinha forças para sustentar a cabeça.
Não se preocupe com isso, vai dar certo.
Bjs

Fabiana disse...

Que bom que Emília esta se adaptando. A Clarinha, da Kelly não está e fica chorando no colo das tias. Está um sofrimento só.

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.