quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A mamadeira e mais um dia na creche

Algumas pessoas têm perguntado, desde que comecei a falar da introdução de alimentos, se a Emília não toma mamadeira. Andei respondendo nos blogs, mas como muita gente se interessou pelo assunto resolvi falar sobre isso aqui.

Enquanto ficou no aleitamento exclusivo, até 5 meses e meio, Emília não tomou mamadeira nem copinho. Só peito. Só depois de 2 semanas de introdução de alimentos, já com seis meses, é que fui tentar pela primeira vez o copinho de aprendizagem (com aquele bico achatado e molinho. O líquido só sai se o bebê sugar). Comecei oferecendo água, depois suco. Ela adorou a brincadeira: ficava mordendo o bico e nada de sugar. Percebi que de vez em quando ela dava uma sugadinha e vi que ela estava bebendo, mesmo que pouquinho. E oferecia sem compromisso, deixando ela brincar com o copinho.

Mas o tempo foi passando e nada de ela beber de verdade. Supus que era porque de tanto mamar ela não precisava de líquidos. Só por desencargo, tentei um bico de mamadeira tradicional e foi a mesma coisa: morde, morde, morde.

E assim a coisa foi até hoje. Daí minha preocupação com a questão peito-comidinhas-líquidos-creche. Porque se ela tomasse líquido no copinho, leite ordenhado eu tenho o suficiente. Resolveria a questão de ela comer pouco; eu poderia ficar mandando meu leite pra escolinha até ela engrenar nos sólidos.

Como eu contei ontem, ela parece que sabe beber do copo igual adulto. Hoje tentei de novo o copo sem a tampa e ela deu umas boas goladas. Só que isso só funciona pra oferecer água, primeiro porque faz a maior bagunça, depois porque se ela tomasse leite desse jeito eu ia ter que ordenhar o triplo do que ela precisa.

E fazendo assim a ligação com o terceiro dia de adaptação na creche, decidi com a educadora que amanhã ela vai tentar oferecer meu leite no copinho depois do lanche. Só deus sabe se ela vai beber. Se não, olha o leite derramado!

Aconteceu exatamente o que eu temia. Com a fome apertando, ela foi ficando sensível. Daí, na hora do banho, começou a berrar ao tirar a roupa. Parou de chorar na água e voltou a se esgoelar quando a tia foi pôr a roupa (detalhe: eu estava beeeem longe da salinha, lá na recepção, mas conseguia ouvir o choro e identificar claramente que era comigo).

Já era a hora do almoço dos pequenos quando me chamaram pra oferecer a refeição (eles pedem pro responsável fazer isso só da primeira vez, pra educadora ver como é feito em casa). Emília até segurou bem a onda e abriu a boca pra umas duas colheradas de papinha, mas começou a chorar muito (olha que dó: ela abrindo a boca, aceitando a papinha e chorando. Como se dissesse: "eu tô com fome, por isso tô comendo - e olha que a papinha tá boa, viu? -, mas eu queria mesmo era o peito".) Aí eu disse pra tia: "Se fosse em casa, eu daria o mamá e ofereceria a papinha depois". Ela prontamente concordou.

Superficialmente, parece que hoje não deu certo. Mas não aconteceu nada de diferente dos outros dias, apenas Emília ficou mais tempo e provou pro mundo que ainda precisa mamar bastante. Ontem foi tudo lindo, mas a gente saiu de lá mais cedo e ela foi direto pro peito. Ou seja.

Então amanhã a educadora tenta o copinho com o leite, e se não der certo eu estarei lá. Enquanto isso, vou fazendo minha parte em casa, tentando oferecer o máximo de líquidos no copinho (já fiz um suco delicioso pro lanchinho de daqui a pouco), e torcendo pra ela beber cada vez mais. E estou otimista, viu? As comidinhas tiveram um avanço considerável: agora ela abre a boca, pede mais, e mesmo comendo pouquinho, já tá fazendo um cocô bem mais firme. Nem lavo mais a fralda direto na pia; antes eu jogo o excesso na privada, senão o ralo fica cheio de pedaços.

Por hoje é só, pessoal. Amanhã tem mais.

Ah: e sobre a máxima de que a adaptação é mais nossa que deles. Gentes, achei não. Pra mim tem sido bem fácil. Pra minha Florzinha é que a coisa apertou.

14 comentários:

Ministério da saúde disse...

Olá!
Você pode ajudar o Brasil a continuar livre da poliomielite! Ajude a divulgar informações aos papais e mamães, para que eles não se esqueçam de levar seus filhos menores de cinco anos para tomar a segunda dose contra a paralisia infantil, no próximo dia 14. Essa simples atitude faz com que as crianças do nosso país estejam protegidas de uma grave doença.
Caso tenha interesse em ajudar a divulgar a Campanha Nacional de Vacinação Infantil, e para obter mais informações ou materiais da campanha - como o filme e banners -, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
Obrigado por sua colaboração!
Ministério da Saúde

Neda disse...

Calma, Lia, sei exatamente o que você está passando. Em casa vc. pode ensinar ela a beber no copo sem tampa sem nada. Eu comecei com uma xícara de café e enchia um pouquinho, menos da metade. Eu segurava o copo e ia dando aos pouquinhos, golinho, por golinho. Aprendi com as prof. na creche. Lá era esse o copo que os pequenos usavam, todas as crianças usam um copo normal sem tampa nem nada. Nunca usei para dar leite já as normas da creche eu podia ir e amamentar sempre que quisesse, mas eles não armazenavam o leite, mas ai, seu Guilherme, não aceitava mamar, tinha uma sala linda, confortável, mas lá ele não mamava. Ele tinha 6 meses, nos fins de semana mamava normalmente, as vezes eu dava de mamar no carro antes de ir pra casa, mas na creche no way. Lá eles não davam qualquer tipo de leite aos pequenos a não ser os demamados e que tinham menos de 6 meses.
Bjs

Patricia disse...

Lia,
um dia de cada vez. E daqui a pouco florzinha já está chorando para ir embora da creche, tal e qual Marianinha. Nosso processo está fácil, mas Mariana não mama no peito.
Resista ao máximo à mamadeira. Eu dei e ela disse tchau para os meus peitos na mesma hora. E aí só sobraram os poucos leites ordenhados congelados, que duraram até cinco meses e meio...
De novo: um dia de cada vez! E daqui a pouco isso tudo só vai ser lembrado por meio desses posts tão carinhosos com sua filhota.

beijos e boa sorte!!!

Paloma, a mãe disse...

Lia, o filho de uma grande amiga minha sempre bebeu direto no copo igual adulto, ela nunca deu mamadeirea nem copos de transição. Mas, como vc disse, ele bebia tudo, até sucos e vitaminas espessas, menos leite. E leite na seringa, será que a Emília toma? Assim é mais difícil derramar. Serve com recém-nascido, não sei se com 6 meses ainda cola.
Sobre a adaptação, eu gte acho tão decidida. É por isso que consegue levar as coisas numa boa.
Ah, e fiquei lisonjeada com seu comentário lá no blog: é claro que eu te ajudo! Mas trate de engravidar logo, pois não sei até quando fico por aqui, hehehehe! [Senão te ajudo pelo Gtalk]
Beijos

Renata disse...

A adaptação do André foi bem chatinha tb e olha que ele foi bem maior! To torcendo pra que as coisas melhorem pra vc poder ir trabalhar tranquila!!!
beijicos

Fabi disse...

Oi Lia tenho lido seus posts sobre a creche mas tava com pouco tempo de comentar (pouco tempo até pra escrever lá no meu blog), mas sabe que, apesar de não estar passando por esta experiência, eu sofro junto.
Espero que as coisas com a comida melhorem por aí e que a Emília fique bem.
Bjocas

Lia disse...

Meninas, vocês são demais! É um comentário mais fofo que o outro!

Mas apesar dos dilemas gastronômicos, continuo feliz e confiante, que nem aquele sambinha do Zeca Pagodinho:

"Tá ruim mas tá bom, eu tenho fé
que a vida vai melhorar
oi, segura as pontas, seu Zé
eu devo mas quero pagar."

Christina Frenzel disse...

Oi Lia!
Um dia de cada vez, viu? Cada criança tem o seu ritmo, assim como nós e, quando você menos esperar ela já vai estar comendo direitinho!
Com a Ciça foi o oposto: da primeira vez que ofereci papinha ela abriu o bocão, comeu tudo, foi tranquilo. Mas, repito, um dia de cada vez, tá?
Beijos e boa sorte!!

Nutrição e Cia disse...

Lia minha linda odeio dar palpite parece que quero ser melhor que todo mundo, mas sabe que aqui em casa o copinho de água é um, o de suco é outro e do leite é a mamadeira mesmo. Eles meio que define isso e fica dificil mudar. Acho que quando vc não estiver mais por perto a cç fica diferente, meio independente e imita os coleguinhas. Manda uma mamadeira e pedi pra tia oferecer seu leite, mas vc não pode estar por lá, pois ela tem a segunda opção: seu peito. Acho que rola. A minha linda veio com alguns habitos que considerei bons depois que começou na escolinha.

Juliana Dalzoto disse...

Oi Lia!!!

Faz tempo que queria seguir teu blog e não dava certo! Hoje deu :)

Então, sou sua mais nova seguidora!! Achei lindo tudo por aqui! Venho te visitar mais vezes ok?!

Beijo grande
Ju

milfacesdejuliana.blogspot.com

Kelly Resende disse...

Lia, ela tá indo muito bem, daqui a pouco tá comendo tranquilamente! Mas dá uma peninha ve-las chorando querendo o peito e não poder dar! Ontem meu peito estava explodindo e ela chorando querendo e não pude dar, fiquei malzona.
Abraços

Ah, citei vc lá no blog.

IvaniRqp disse...

Olha, ler seu blog está me ajudando muito, pois a minha fofa, Yasmin está com 7 meses, e até o 5 e meio foi só peito, sem nenhum complemento, depois frutinhas, que ela adora, depois suquinho e chazinho, que gosta também, mas a papinha/sopinha salgada e o leite em fórmula ela não gosta.
A sopinha no inicio comia umas 4, 6 colherinhas, mas agora no máximo umas duas. Já diversifiquei de todas as formas imagináveis a tal da comida salgadinha e nada. Agora daqui 10 dias começaremos a adptação na creche e estou com muito medo que ela perca peso, pois nos ultimos 45 dias pegou apenas 250 gramas....
Bom vou continuar passando por aqui para ler sobre suas experiências. Não deixe de comentar sobre a adaptação na creche, pois assim já vou me acalmando com o que está por vir ...
Boa noite!

Carol Garcia disse...

Oi Lia!
concordo super: evite a mamadeira. Isaac largou o peito dois meses depois que experimentou.
foi diminuindo a frequência das mamadas e não quis mais saber.
quanto a adaptação... super normal que a peqeuna precise de vc uns dias lá na escolinha. não só ela como as educadoras tbm.
mas vem cá... estão se saindo super bem. as duas.
bjocas

Thaís Rosa disse...

querida, é isso aí, você tá certinha. vai devagarzinho, no tempo dela, que uma hora dá certo. ela ainda é pequenininha, tá descobrindo todo um mundo de sabores e utensílios de comer e beber, mas uma hora engrena. Caio não teve que ir pra escolinha novinho, mas ficava em casa com o pai ou a vovó. As primeiras tentativas foram em copinho de pinga, no início não funcionaram, mas depois rolou, ele lambia igual gatinho. Logo em seguida passei pra um copo da nuk (deve ser tipo esse que você falou, ele parece bem uma mamadeirinha), e demorou pra engrenar. Começou aceitando água, depois de muita insistência o leite materno, e só muito, muito tempo depois suco. Caio demorou horrores pra curtir tomar suco, mas hoje adora.
Então, se você puder ir fazendo dessa forma até ela estar acostumada à escolinha e à nova alimentação, seria a melhor coisa. Mas, se não der, vai treinando com ela bastante em casa, que é onde ela se sente segura, até ela acostumar e topar na escolinha também. E vamo que vamo, que cada fase é um novo desafio.
beijo grande, boa sorte! (aqui em casa essa fase de introdução dos alimentos foi um perrengue........)
thaís

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.