segunda-feira, 5 de abril de 2010

Relato de viagem - Parte I

Cá estamos, de volta a Brasília. Ufa, que canseira!

Pediram e vim aqui dizer como foi a primeira viagem de florzinha. Balanço geral, sucesso! Ela se comportou muito bem, distribuiu sorrisos e pareceu quase nem sentir a mudança de ambiente. Procuramos respeitar o ritmo dela, o que eu acho que ajudou bastante.

Este post fica para os aspectos práticos do trânsito. Amanhã faço outro sobre a viagem em si.

No avião

Na ida, chorou uns minutinhos de cansaço. Logo relaxou, dormiu e assim ficou todo o resto do voo. Na volta, foi só alegria até a aterrissagem, quando ela abriu um pequeno berreiro – que também não durou muito tempo.

Dei o peito nos momentos de mudança de pressão, mas nem sei se foi necessário. Da próxima vez vou esperar pra ver se ela sente alguma coisa. Acho inclusive que na volta o choro dela teve a ver com o excesso de alimentação. Quando embarcamos, ela já estava com muita fome, e mamou um tantão na decolagem. Como o vôo é muito curtinho, quando fui dar o peito de novo ela já estava muito empanturrada.

Muito legal foi o tal bercinho de avião. Na ida, nos esquecemos de pedir pra ir nos assentos da frente, e fizemos isso na volta. Aí uma moça que tava sentada atrás da gente esticou o pescoção e sugeriu: “Por que vocês não pedem um bercinho?”. Já tinha lido sobre isso em outros blogs maternos, mas não sabia que voos nacionais também tinham. Pedi. Foi ótimo. Ficamos com os braços livres pra poder lanchar. Ela dormiu um pouquinho, acordou e ficou vidrada na estampa no bercinho. Coloquei um brinquedo lá dentro e ela riu à beça.

Bagagens

Apesar de termos levado carrinho, bebê conforto e berço desmontável, foi tranqüilo viajar com tudo.

O bebê conforto já estava no nosso carro, então não tivemos de descer com ele na hora de sair. Chegando em BH, instalamos no carro do meu sogro e lá ele ficou até a volta – menos uma coisa pra levar pro apartamento. E enquanto estávamos no aeroporto, ele ficou encaixado no carrinho, então não precisamos carregar.

O carrinho, nem precisa dizer. Oitava maravilha. Ficamos com ele até entrar no avião (com o bebê conforto encaixado). Também foi super útil durante o dia, pra poder deixar Emília confortável em qualquer cômodo da casa. E, finalmente, sem ele talvez tivéssemos tido um pequeno desastre noturno por causa do último item...

Emília não quis dormir no berço!

O berço é uma sensação. Super compacto, pesa só 10k, facílimo de montar e desmontar. Até aí, maravilha. Ritual noturno completo, Emília dorme no berço, tudo na mais perfeita. Uma hora depois, ela acorda engasgada, desesperada (lembram da minha enquete sobre a posição pra dormir? De barriga pra cima não, definitivamente!). Chora, chora, berra, berra, e só se consola com o peito. Mamou igual um bezerro, se acalmou e dormiu de novo. Dessa vez , tivemos o cuidado de conferir se os travesseirinhos estavam bem colocados, impedindo ela de virar de novo (não levamos o segura-bebê). Ela acordou de novo e decidi: se acordar mais uma vez, vai pro carrinho. Dito e feito. Depois de despertar pela terceira vez, foi pro carrinho e lá dormiu até as 6h. No dia seguinte, tentei de novo o berço e de novo ela acordou e foi pro carrinho. Não sei se foi a falta de inclinação, a falta do segura bebê ou se ela estranhou o berço. Na próxima vez vamos testar com antecedência, porque em breve ela vai ser grande demais pra passar a noite no carrinho.

O resto da bagagem ficou super compacto. Levei uma malinha que pesou 10k com as coisas de nós três. Não faltou nada, só algodão na bagagem de mão pra pôr no ouvido dela (embarque remoto na ida. Favela-la-la...). E não sobrou quase nada, só umas roupinhas a mais que levamos por precaução.



Olha ela brincando no bercinho do avião...

13 comentários:

Fabi disse...

Ai Lia, que coisa mais fofa ela tá!

Eu estou um pouco apreensiva com este lance de viagem... talvez no segundo semestre eu viaje para os EUA com o Gu. E detalhe, só eu e ele, porque meu marido vai antes a trabalho.
Quero só ver...
Quanto ao ritual do sono, preciso fazer alguma mudança na ordem das coisas. O Gu adorava banho de balde, mas agora, não sei se ele fica muito sonolento depois da massagem, mas o fato é que é só colocar ele no balde e ele começa a reclamar.
Mas como faço a massagem com óleo, tenho que dar um banho antes dele dormir.
Alguma sugestão?
Bjocas e parabéns! A Emília tá linda!

Paloma, a mãe disse...

Que linda no bercinho, babei!
Viu como dá para levar tudo? E eu também acho a posição de barriga pra cima uó. Da próxima, capricha no segura-neném e, se ainda for o caso, tenta uma inclinação no berço.
Beijos

Roberta disse...

Que bom que a viagem teve saldo positivo...e das próximas será mais fácil!!
Sabe, que aqui o Victor nunca se adaptou ao berço portátil?!!Inclusive quando vamos para hotéis e tal sempre peço o berço, mas no meio da noite acaba indo para nossa cama...Não sei se é o berço ou todas as outras mudanças de ambiente!!
Ta linda nesse bercinho do avião...ele é maravilhoso, e mesmo quando estiver maior o lugar da frente é ótimo pq podemos deixar, quando possível, brincando no chão!!

Beijos

Cynthia Santos disse...

Zeeeenteee, ela está uma delicinhaaaaa
Parabéns, Lia, ela é uma fofíssima!!
Beijo grande!

piscardeolhos disse...

linkei, né? podia?
sei que vc já sabe, mas não custa repetir: ela tá linda, lia.

Tathyana disse...

Oh gente que mocinha comportada!!! Nessa idade é uma beleza pra viajar, depois que começa a dar mais trabalho. Bjsss

Adriana D. disse...

Oi Lia,
obrigada pelo esclarecimento sobre chupar os dedos!! Já vi cada criançona enorme ainda com as mãos na boca que me ponho desde agora a pensar em como farei para ela deixar o hábito.
Sobre viajar, nossa primeira experiência será dia 16, de carro. Já estou prevendo toda a tralha que teremos que carregar.
bjs e abraços

Sarah disse...

Oi Lia! Que linda a Emília, que risadinha gostosa! Adorei o brinquedinho, muito fofo!
Sobre a tralha para viagens, não tem jeito, a gente acaba mesmo levando bastante coisa. Ainda mais quem tem bebê com refluxo como nós... haja roupa! (Mas isso melhora com o passar do tempo viu, eles passam a golfar bem menos e consequentemente sujam menos roupas). Mas te deixo uma dica, por experiência própria: use e abuse do carrinho. As diversas inclinações que ele permite ajudam bastante a conter o refluxo. Bento dormiu no carrinho até os 5 meses... O refluxo dele era bem brabo, ele quase se afogou 2x durante a madrugada, golfou enquanto dormia... No carrinho conseguíamos deixá-lo mais inclinado e, depois desses sustos, ele passou a dormir ao nosso lado, e o berço nós usávamos para as sonecas diurnas. Hoje ele dorme tranquilo no bercinho dele a noite inteira.
Não me parece que o caso da Emília seja tão crítico, mas, quando tiver que optar, minha dica é pelo carrinho.
Um beijo!

Ana disse...

Que fofa no bercinho!
Que bom que foi tranquilo.
Não desanima com o berço portatil.
Ela pode ter estranhado a falta do segura bebe mesmo. No carrinho fica mais apertadinho.
Mas logo será o contrário.
Ela vai querer muito espaço. Rs
Beijos!

Carol disse...

Que bom que deu tudo certo! Confesso que ao ler o post antigo achei que era coisa demais, enfim... ainda não tenho filhos, rs...
=*

Carol disse...

nossa, vi o vídeo, vi as fotos e concluo o mesmo óbvio que todas: como ela tá BUNITONA. Impressionante! Parabéns!

to sempre por aqui, mas fico sem graca de comentar sem ter mto o que acrescentar! Entao fico só babando e aprendendo!

beijoca

Patricia disse...

Adorei Emília no seu primeiro voo. Você já imaginou como ela vai curtir ver esse vídeo daqui algum tempo?
Que bom que deu tudo certo. Mas ainda não animei não...criança de quase 2 não para mais em berço. nem em lugar nenhum. ai, ai.

bjsssssss

JULIANA disse...

Ô que LINDA
Heitor tb nunca conseguiu dormir no berço de viagem. Acho que não acostumei desde RN e ele se sentia instavel, pq ele balan√a um pouco né?

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.