terça-feira, 22 de setembro de 2009

Paixão

Emília,

Um dia me apaixonei pelo seu pai. Foi acontecendo aos poucos. Primeiro fui descobrindo como ele era doce; depois, fui sentindo a cada dia mais vontade de vê-lo. Era bom conversar com ele ao telefone, melhor ainda encontrar com ele. Seu abraço fazia meu coração bater mais forte. Quando pensava nele, sentia um aperto no peito. Um dia tivemos de nos separar durante nove meses, e chorei muito. Ele me beijou na rodoviária quando nos despedimos, e foi o melhor beijo do mundo.

Com o tempo, nossa relação foi ficando sólida, e essas emoções do começo foram amadurecendo. Não tinha mais aquele nervoso enquanto eu esperava ele me ligar. Não tinha mais uma novidade a cada encontro. Mas essas coisas foram sendo substituídas por um amor enorme. Uma alegria toda vez que ele chegava do trabalho, e eu estava na cozinha fazendo alguma coisa gostosa pra ele comer. Dormir pertinho dele, acordar e ver seu rosto lindo. E depois que encontrei seu pai, nunca mais me apaixonei por mais ninguém, e nunca mais senti aquelas emoções de quando você encontra pela primeira vez o amor da sua vida.

Até que aconteceu você. Foi do mesmo jeito, aos poucos. Primeiro, soube que você estava dentro de mim, e fiquei muito feliz. Depois vi você no vídeo, e te reconheci, e te amei. Já te falei sobre isso em outra cartinha. E depois senti você mexer, me fazendo lembrar sempre que você estava comigo. E quanto mais você crescia na minha barriga, mais real você se tornava. Vi você outra vez na televisão, e me confirmaram que era você mesmo, a minha menininha. E nesse dia fiquei tão feliz, mas tão feliz, que me lembrei dos primeiros dias com seu pai.

Fiquei tentando me lembrar a última vez em que senti uma emoção tão forte, tanta paz, tanta certeza de que eu não tinha vindo ao mundo à toa. E pensei que isso ia diminuir um pouco, porque meu coração não ia aguentar ficar tão emocionado por muito tempo. Mas acontece que essa felicidade não parou de crescer. De vez em quando eu me pegava imaginando você nos meus braços, te enchendo de beijos. E eu só queria que você viesse logo. Ou então eu ficava com uma vontade enorme de chorar, simplesmente porque eu não merecia um milagre tão grande. Você era um presente bom demais pra mim.

Então eu reconheci de novo todos os sintomas: o aperto no peito, a vontade de rir o tempo todo, e de chorar às vezes; a ansiedade pra te encontrar logo, as imagens que eu inventava na minha cabeça de nós três juntos, eu, você e seu pai. E tive de escrever pra te contar: descobri que estava apaixonada por você.

11 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Ai, que lindo. São tantas emoções, né? E só posso te dizer pra vc se preparar que vem muito mais por aí: nascimento e primeiros dias (meses/ anos) são explosões diárias de sentimentos assim. Loucura!

Renata disse...

Ai que coisa mais linda! Muito sortuda essa gatinha por ter tantas cartas lindas pra ler quando crescer!
E pode ter certeza que esse amor só aumenta e aumenta...não sei mais onde isso pode parar! rs!
Um beijo enorme! Re
* amei o nome que vc sugeriu e já tinha até pensado, mas tem uma muito próxima que nasceu há menos de um ano! Snif...Pode mandar mais, que sugestões são hiper bem vindas!

lidianeves disse...

Lia!
Li seu blog inteiro. Cheguei aqui pelo blog da Mari, que eu também leio inteiro, mundinho pequeno esse da internet, né?

Estou feliz com a vinda da Emília! Vamos que vamos! Eu não sei nada, mas mais uma vez, o fato de você ser vanguardista vai me ajudar. Risos. Depois eu peço as dicas....

Beijos

dannah5 disse...

Muito lindo Lia, parabens pela bonequinha.
Olha, eu sou fan de meninas, amo ser mae delas, tenho certeza que vc vai descobrir q eh uma delicia. E nao eh pelas fitas e babados pq nem uso isso, eh pq vc vai ter a chance de presenciar o desabrochar dessa futura mulher e de ser suas raizes, seu porto seguro. Meninas sao encantadoramente viciantes!Hehe

beijocas pra vcs duas!

Marina disse...

Lia, que coisa mais linda!
um beijo enorme

Fabi disse...

Lia,

Prepara o coração que a viagem está só começando..hehehe. E qdo nascem então? A gente parece que vai explodir de tanto amor, o maior amor do mundo! Eu tb tô no início desta maravilhosa jornada de ser mãe, sou mãe da Laura de 7 meses e conheci seu blog através do blog meu projetinho de vida. Um bjo e curta bem seu barrigão que depois ele faz falta.

Ana disse...

Linda carta :)

Nanda disse...

Que lindo Lia... faz chorar!
beijos

Patricia disse...

Lia, Lia...chorei mais uma vez. Ainda sou mãe nova, e embasbacada com a grandeza do sentimento que nasce com a maternidade. O amor de mãe é tão superlativo que só mesmo experimentando para saber. Há um ano, todos os dias sem exceção, me surpreendo com a minha infinita capacidade de amar a Mariana. Te garanto que com a Emília vai ser igualzinho.

Clara Viegas Miranda disse...

Isso é tão romântico!!!

Letícia Volponi disse...

Po, assim vc faz todo mundo chorar, Lia

Blog Archive

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.