segunda-feira, 2 de maio de 2011

Manifesto pela amamentação

Manifesto pelo direito das mães de não serem separadas de seus filhos logo após o seu nascimento e de permanecerem com eles o tempo todo pelo menos durante a primeira hora após o parto. Um recém-nascido não deve ser afastado de sua mãe, a não ser em períodos muito breves, em caso de extrema necessidade, e não deve ser deixado em berçários.

Manifesto pelo repúdio à alimentação artificial em maternidades, sem indicação clínica, quando a criança está apta a mamar e a mãe, disponível para amamentar. Água glicosada ou qualquer outro recurso que prejudique o reflexo de sucção do bebê são inaceitáveis.

Manifesto pelo direito das mães com dificuldades para amamentar de receberem apoio e orientação adequados por parte dos profissionais de saúde e da família. Mães com dificuldades de amamentação precisam de encorajamento e solidariedade.

Manifesto pelo direito das mães de amamentarem em livre demanda, sem serem desencorajadas por profissionais de saúde ou parentes sob o argumento de que os bebês têm de ter hora para mamar. Os bebês têm direito ao seio sempre que necessitarem, de dia ou de noite.

Manifesto pelo direito das lactantes de não serem pressionadas por parentes, profissionais de saúde, amigos ou conhecidos a oferecerem mamadeiras e chupetas. As mães são as principais responsáveis pelos cuidados com os seus filhos e devem ter o direito de alimentá-los de forma natural e instintiva.

Manifesto pela urgência de os pediatras serem profissionais e éticos ao interpretarem as curvas de crescimento, sem indicar alimentação complementar precoce a um bebê saudável simplesmente porque ele não se encaixa no padrão médio. Cabe aos médicos avaliarem se alterações nos padrões de engorda ou de crescimento são patológicos ou fisiológicos.

Manifesto pelo direito de uma mãe de manter o aleitamento exclusivo durante os seis primeiros meses de vida de seu bebê, sem ser assediada por parentes, profissionais de saúde, amigos ou conhecidos para que ofereça outros alimentos sem necessidade.

Manifesto pelo direito das mães que trabalham fora de casa de terem em seu ambiente de trabalho um local adequado, com higiene e condições de armazenamento do leite, para fazer a ordenha, seja para alívio das mamas, para a estocagem de leite a ser oferecido a seu filho na sua ausência ou para doação aos bancos de leite. As empresas devem oferecer condições para que suas funcionárias mantenham o aleitamento após seu retorno ao trabalho, seja flexibilizando seus horários, mantendo creches em seus recintos, instalando salas de ordenha ou permitindo que a criança seja trazida à mãe para receber o seio.

Manifesto pelo direito de toda mulher que trabalha fora de casa a gozar de uma licença maternidade de seis meses. Seu retorno ao trabalho também deveria ser facilitado, com possibilidade de redução de jornada com o recebimento proporcional do pagamento ou flexibilização de horários.

Manifesto pelo direito dos bebês de serem amamentados enquanto necessitarem, mesmo que esse tempo supere o período considerado aceitável pela nossa sociedade.

Manifesto pelo direito de as mães amamentarem seus filhos em público, quando necessário, sem serem condenadas por pudores hipócritas.

Manifesto pelo direito de as mães amamentarem durante a gestação, ou amamentarem mais de uma criança simultaneamente, sem serem ameaçadas com dados inverídicos acerca de efeitos nocivos para a criança que mama ou para o feto.

Manifesto pelo direito de as mães amamentarem livremente, e de os bebês mamarem livremente, sem serem alvo de preconceito ou ignorância.

Lia Miranda.

35 comentários:

Mariana - viciados em colo disse...

eu também manifesto! assino embaixo!

Flavia disse...

Uau!

eu tambem, claro! e todos os itens.

Roberta Lippi disse...

Assinado embaixo. Amei o texto. Pra variar.
Você é minha ídala.
Beijos

Ivana - coisademae disse...

Lia, tô dentro e assino embaixo!!!

Bjos!!

Patrícia Boudakian disse...

Assino embaixo e já publiquei no meu blog.

Beijo!

Anna disse...

assino embaixo e, se precisar, saio em marcha com as tetas de fora!! rss

Tathyana disse...

Assino aonde mesmo?

Paloma, a mãe disse...

ManifestAMOs.
Beijos

Dani Garbellini disse...

Também assino. Claro!
Beijos!

Fernanda disse...

Lindinha!!! Nós, mães, te amamos!!
Continue na militância!! O mundo precisa de mulheres como você.
Beijos

Sarah disse...

Ótimo texto! Onde eu assino??
PS: sobre a diferença de idade entre os filhos, também acho que não há idade ideal! Quem decide é o casal mesmo. Lembro do post que vc linkou, até cheguei a comentar. Provavelmente nós começaremos a tentar no segundo semestre, quando volto a trabalhar em casa (consegui acordo com o chefe, vou contar lá no blog!)
beijos!

(Mamãe) ~Pinel disse...

Onde é que eu assino???
=D

Texto ótimo, como sempre!

Mariana - viciados em colo disse...

lia,
publiquei seu texto lá no blog e uma leitora sugeriu tentar publicar. o que você acha?
beijoca

Cíntia Anira disse...

Clap! Clap! Clap!
Que bom que você expõe suas idéias, compartilha, agrega informação. São pessoas como você que inspiram a mudança! Parabéns mais uma vez!
Beijos

Ivana - coisademae disse...

Lia, publiquei o seu texto lá no blog ainda ontem e estou torcendo para que muitas outras mães adiram a esse manifesto!

Parabéns pela iniciativa!
Bjos!

Nine disse...

Ótimo manifesto, Lia!
Concordo e assino!
Parabéns!
Nine

Mon Maternité disse...

Apoiada companheira!
Muito do que você escreveu aconteceu comigo. Não me frustrei, mas sofri! Falta de incentivo, apoio, ajuda e visitas fora de hora durante a recuperação com certeza me fizeram não ter leite suficiente e dar, desde os cinco dias de vida complemento artificial!

Apoiada!
Ipi Ipi Urra!!

Beijos,
Marcella

www.monmaternite.blogspot.com

Fátima disse...

Lia, cheguei ao seu blog através de um link para este post em outro blog... e amei! Já fucei bastante aqui e virei seguidora.
Sou uma mamãe fresca - meu Frederico tem 1 mês - e ávida por informações.
E esse precisa ser publicado em maternidades, cartilhas, propagandas sobre aleitamento...

Beijos!
(www.fredericando.blogspot.com)

suzysantos disse...

Manifestei!!!! Parabéns!!!!! E que tal a idéia de colher mesmo assinaturas?
beijo,

Buena Leche disse...

Muito bom. Manifesto assinado!

Thaís Rosa disse...

ARRASOU.
assino embaixo, em cima, do lado e tb topo ir pra marcha!
rá!!
cadê o ministério da saúde nessas horas? pra por comentário pedindo ajuda pra divulgar campanha de vacinação, eles aparecem... quero ver esse manifesto publicado djá!
beijo

piscardeolhos disse...

Uia, que eu fico um tempinho afastada da blogosfera e qua do volto tem um manifesto lindao desse!!
Parabens, querida, vou divulgar, sempre.
Beijos!

Taiza disse...

Lia, post inspiradíssimo!

Assino embaixo e saio em marcha com a filha pendurada nas peitcholas!

E tb divulgo, pois coisa boa é pra se espalhar!

Bjoka

lidianeves disse...

Emocionante! Arrepiei!
assino embaixo também.

vou linkar no meu blog-twitter-facebook qualquer dia desses, com um Alô Ministério da Saúde!

bjs

Gab disse...

Excelente, assino embaixo, nesse país mulher pelada pode em qualquer comercial de tv, agora mãe que amamentar o filho em público quase apanha (e imagina então se a criança tiver + de 1 ano!).
Viva a amamentação vivida por mãe e bebê de forma livre e natural! Abaixo os preconceitos e mitos!
Vou linkar no meu blog também, tá?
E parabéns pelas crias, suas histórias são uma delícia de ler! Beijos maternos,
Gabriela, mãe da Inaê (14 meses e mamando...)

Adriana Mendes disse...

Tenho uma filha de 2 anos e 2 meses, Miranda, que ama mamar. Hj trabalhei 24 horas (sou jornalista) e ela ficou com uma tia durante a noite, que pela manhã a levou na creche. Meus seios estão doendo, até a cabeça, vou buscá-la agora e estou louca para amamentar. Apoio incondicional ao seu manifesto! Tenho um blog, sobre um processo de guarda da minha filha mais velha, Dora, que foi arrancada de mim e está há 3 meses com os avós, sem poder nem me ligar. Mesmo assim, continuo amamentando, meu leite não secou, ao contrário, jorra! www.etudoverdademesmo.blogspot.com

Adriana Mendes disse...

Assino embaico o manifesto. Tenho uma filha de 2 anos e 2 meses que ama mamar, hj trabalhei 24 horas (sou jornalista..) e meus seios ficaram estourando, estou louca pra amamentar. Não paro de ouvir comentários do tipo: q menina grande, ainda mamando?? Como se fosse uma agressão! vou linkar no meu blog também www.etudoverdademesmo.blogspot.com

Maíra Bezzi disse...

Lia, que prazer ao ler o seu texto!
Eu o recebi em uma lista de mães aqui de Brasília e o publiquei em meu blog!
Sou mãe de três e concordo com vc de cima a baixo!
Carinhosamente, Maíra
www.minhacasaminhaalma.blogspot.com

Beca Bricio - Mulher que pariu disse...

Lia, que perfeito!

Sem tirar nem por uma vírgula, tenho total acordo com tudo o que vc escreveu.

Asssino embaixo e estarei publicando no meu blog, ok? Muito obrigada, pelo manifesto.

beijos, Rebeca - mulherquepariu.blogspot.com

Barbara Luduvice disse...

Lia... que lindo!!!

Encontrei vários problemas na amamentação, Joaquim está com 5 meses, e infelizmente ainda não conseguimos muitos progressos... mas eu não desisto nunca!!!

Posso publicar esse texto no meu blog??? Queria divulgá-lo em outras fontes também se você autorizar...

Bjão

Maribel Barreto disse...

Apoiada!!!!
Publiquei seu manifesto em meu Blog
www.umblogdemae.blogspot.com

Patrícia Gomes disse...

Sou a favor da amamentação mas terminantemente contra a "livre mamada". Criança não precisa mamar o tempo todo nem é só disso que precisa. Os 10 primeiros minutos da amada são de água, mais 20 são de leite com gordura e 10 minutos depois sai um leite docinho, que sacia a criança. Os números não são fixos, mas é + - isso. Se der mama de hora em hora não há tempo do leite com proteína ser formado e nem a criança chega a ele, fica só tomando "água".
A medicina não quer destruir ninguém, vamos nos informar, julgar, decidir, mas ser coerentes - sempre!

Lia disse...

Patrícia, de onde você tirou essas informações? De toda a literatura que já pesquisei, incluindo recomendações da OMS, do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de pediatria, todos são unânimes em afirmar que a livre demanda é a única maneira segura de garantir a boa nutrição de um bebê. A única autora que já li que prega que se a criança mamar de hora em hora "não dá tempo do leite com proteína ser formado" e que a criança fica só "tomando água" foi a Tracy Hogg (encantadora de bebês). A mesma que defende que a criança deve ser alimentada com seio E mamadeira de modo que o pai possa participar.
Quando você diz que "a medicina não quer destruir ninguém", eu posso concordar se você estiver falando da medicina baseada em evidências. Mas se você estiver falando da medicina patrocinada pela Nestlé e pela indústria farmacêutica, aí eu já teria ressalvas a essa afirmação.
E por que não contestar certas pessoas que se dizem especialistas, sempre com base na ciência.
Fique livre para expor suas fontes aqui, mas posso te garantir que todas as informações que coloquei neste manifesto e em todos os outros meus posts sobre amamentação são fruto de muito estudo, de fontes confiáveis.

Lia disse...

E acrescentando: esses minutos que você citou (leite aguado, leite rico em proteína e leite gordo) são absolutamente aleatórios. O tempo que o bebê demora pra chegar a cada um desses leites depende muito da força do bebê para sugar e do fluxo de leite da mãe. Esse é mais um dos motivos pelos quais se você se fiar no relógio em ver de no tempo do bebê, corre sério risco de deixá-lo sem o leite rico em gordura.

vania fonseca disse...

Adorei seu manifesto e assino embaixo tb.Tenho 43 anos,e vivo ha 5 anos na Inglaterra.Tinha 3 filhos lindos e ja adolescentes,q foram amamentados o maximo possivel,pq tinha q voltar a trabalhar,mas como era meio periodo,mamavam qd chegava em casa.Estou no segundo casamento,e aos 42 anos resolvemos ter mais um bebe...e minha baby,Mia,ja vai completar 3 meses dia 21.Por causa da idade,e tb por ter seios muito pequenos,sempre ouvia comentarios,e ainda mais aqui,q amamentar nao e pratica comum.Eu tb fiquei preocupada,e antes e durante a gravidez pesquisei muito sobre tudo,amamentaco inclusive,e posso dizer q minha filha mama a vontade,nao fico nisto de controlar os horarios,mas ela mesma estabeleceu um tempo de 2 horas + ou -,e qd vamos a Baby Clinic para pesagem,as midwifes(enfermeiras especializadas)se surpreendem com o desenvolvimento dela,ela nasceu maior e com mais peso q o esperado,e surpreende todos a cada dia.Sempre ouco a sugestao de dar mamadeira aqui,p ela nao passar fome,p eu nao ficar cansada,p ela dormir toda a noite,etc...mas eu logo respondo:nao,ta tudo bem assim!
Meus 3 filhos adolescentes sao super saudaveis,inteligentes e nunca ficam doentes,e isso e o q desejo p minha baby Mia.Por isso ela vai mamar ate quando quiser,ja q aqui nao preciso voltar a trabalhar ate ela completar 3 anos,e agradeco por ter esta opcao.
Vou postar seu texto nos meus blogs,abracos.

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.