terça-feira, 10 de abril de 2012

Ioga pós-parto

Recentemente falei sobre como a vida muda depois da maternidade, e como é necessário fazer mudanças no nosso antigo estilo de vida para criar espaço para os pequenos. Mas entre tantas coisas que temos de deixar pra trás por um tempo - o cinema, o álcool, os programas noturnos -, uma me é sagrada e fiz questão de manter: a atividade física.

Claro, com adaptações. Antes de engravidar pela primeira vez, fazia boxe. Boxe grávida não dá, né? Então troquei por Pilates, mantendo as caminhadas que eu já fazia. Dois meses depois que Emília nasceu, me matriculei numa academia em frente à minha casa e comecei com spinning e ginástica localizada. Como os horários da academia eram bem flexíveis, e ela ficava literalmente do outro lado da rua, dava pra conciliar os exercícios com os cuidados com uma quase recém-nascida. Marido chegava do trabalho e eu ia correndo malhar. Deixava o celular bem à vista e, em caso de emergência, estava em casa em 5 minutos.

Funcionou bem até minha licença-maternidade acabar. Depois ficou impossível fazer outra coisa que não fosse trabalhar e cuidar da Emília, à época com apenas 7 meses. Até as caminhadas eram difíceis de fazer, e se restringiam aos fins de semana. Fiquei, então, sedentária - até engravidar da Margarida.

Me vi então obrigada a me mexer.

Sei que tem muita gente que odeia atividade física, caminhadas que sejam. Têm aquela preguiça mor e prefeririam nunca ter de levantar um peso. Mas eu não sou assim. Eu adoro me exercitar e fico péssima quando não o faço. Tenho dor nas costas, torcicolos (com a colaboração de duas hérnias na cervical) e, durante a gravidez, se não caminho fico com uma sensação insuportável nas pernas.

Então arrumei o seguinte esquema pra conseguir manter as atividades físicas durante minha segunda gravidez, com uma filha de um ano pra cuidar e trabalhando 8h/dia (+ 1h de deslocamento, + 1h de almoço = 10h fora de casa): personal trainer. Na verdade, uma fisioterapeuta e doula muito familiarizada com o acompanhamento de gestantes que vinha à minha casa todas as sextas-feiras no fim da tarde pra me passar uma série de Pilates. Como o Rafael nem sempre chegava a tempo do trabalho, minha irmã sempre vinha pra cuidar de Emília enquanto eu me exercitava. Depois, eu tinha a tarefa de repetir a série sozinha pelo menos 2x por semana. E eu fazia isso depois que Emília dormia. Pensem a situação. Muita disciplina e muito cansaço, mas tinha de ser.

Em julho, com 7 meses de gestação, parei de trabalhar. Emendei férias, licença médica e licença maternidade antecipada. Com Emília na escola pela manhã, comecei a ioga para gestantes duas vezes na semana. Nos demais dias, eu caminhava - às vezes no meio do mato, na Água Mineral. Aí a coisa ficou boa.

Nunca fui muito fã de ioga. Achava muito zen, e pra quem fazia boxe era algo muito distante. Eu pensava que sem sofrimento, não havia resultado. Mas topei durante a gestação, por saber que era um exercício extremamente benéfico nessa fase. E gostei demais.

Margarida nasceu e, com um mês, voltei à ioga. A mesma professora (que foi minha doula), só que uma turma de pós-parto.

A ioga pós-parto é montada de forma a ajudar a puérpera a recuperar o tônus abdominal, fortalecer e alongar músculos que são muito demandados nos cuidados com o bebê e na amamentação. É punho, pescoço, braço, costas - tudo o que fica sobrecarregado de carregar o bebê no colo. E ao contrário da ioga para gestantes, que vai ficando mais light à medida que a barriga cresce, a ioga pós-parto vai aumentando em intensidade conforme o corpo da puérpera vai voltando ao normal.

Além de amar os exercícios, me apaixonei pela ioga pós-parto por outra razão: eu levo a Margarida. Não preciso de ninguém pra me acompanhar, porque o esquema da aula já prevê a presença dos bebês. Eles ficam em colchonetes no meio da roda e se precisam de colo, peito ou qualquer outra assistência, a gente para e atende.

Muita gente vai saindo, seja porque volta ao trabalho, seja porque não gosta de dirigir sozinha com o bebê (as aulas acontecem num clube um pouco afastado do centro da cidade). Atualmente, estou sozinha na turma. Mas tem sido tão bom que não pretendo sair enquanto Margarida me deixar fazer a aula.

Ela ainda não se arrasta, apesar de se movimentar bastante. Atualmente, deixamos dois colchonetes grandes no meio da sala, com almofadas em volta e vários brinquedos. Ela fica numa boa, prestando a maior atenção nos nossos movimentos, e às vezes até cochila sozinha. Tenho conseguido fazer a aula direto, sem interrupções.

Mesmo sendo apenas uma vez por semana, os resultados são surpreendentes, porque a ioga dá uma consciência corporal que acaba entrando no nosso dia-a-dia. E as caminhadas seguem firmes, todas as manhãs, enquanto empurro o carrinho.

Em janeiro, durante as férias de Emília. Rafael foi comigo pra cuidar dela.

E não é que ela aprendeu direitinho?

9 comentários:

Mari Mari disse...

num acredito!! ioga com as filhas?!?! Olha, to pra ver lugar que dê pra levar as criancas! Ainda mais aqui no Rio, onde reinam as babás e o melhor que consigo ouvir é "logo voce arranja uma boa babá..." muito bacana! :-)

Sarah disse...

Lia, que máximo! Adorei a Margarida "praticando" e a carinha de sapeca da Emília. Nunca fiz ioga nem pilates, mas tenho vontade. Na gravidez fiz hidroginástica, e antes disso de tudo um pouco, até capoeira! Mas depois que Bento nasceu parei, só fiz caminhadas com o carrinho e depois beeem esporadicamente. Ontem mesmo levei pito do meu ortopedista, tinha uma consulta por causa de dor nas costas e adivinha... falta de atividade física! Shame on me!
Quero agora conhecer o pilates, acho que vou curtir. Depois conto!
bjos

Kelly Resende disse...

Oi Lia, posso ter inveja branca??? Eu ainda não encontrei nada de atividade física regular que eu goste... É terrível pq preciso demais, mas não tenho tempo e nem gosto. Admiro demais quem consiga fazer, ainda mais no seu caso, levando a pequenina (nem tão pequena assim ne). Atualmente estou fazendo pilates, mas preciso de algo mais power pra perder peso...
Beijos

Joanawps disse...

Eu fiz Ioga no pós parto com o meu filho aqui no Rio! Pode procurar no Espaço Nirvana, é muito legal!

Cíntia Anira disse...

Oi Lia!
Se tem uma coisa que eu mudaria se tivesse outro filho era isso. Aqui na Suécia essas aulas são realizadas no próprio hospital e começam com uma semana de pós-parto. Eu não fiz e me arrependo. Como não temos babás, ajuda, nada disso, levamos o bebê para todas as atividades. As academias também oferecem aulas de mães e bebês aqui, é relativamente comum. Em uma segunda gravidez, eu não perderia essa chance.

beijos, parabéns pela disciplina!

Paloma, a mãe disse...

Ioga é bom demais mesmo, mas o que são as fotos das meninas? Ciça também faz várias posições de ioga, adora desde sempre,e a Cali, com toda a sua flexibilidade bebezal, nem se fala. Quando ela está doentinha ou com nariz entupido, ela dorme nesta posição que a Margarida está, às vezes com a bundinha mais elevada. Os bebês são muito sábios, né? Fazem uma ioga intuitiva.
Beijos

(Mamãe) ~Pinel disse...

Que delícia Lia!!!
Por aqui eu nunca ouvi falar dessa ioga, e olha que teria sido ótima pra mim!
Eu fiz, depois da gravidez, pilates e AMEI. Eram duas vezes na semana, e a minha instrutora estava trabalhando justamente em exercícios para recém-paridas, digamos assim. Tive que para no meio do ano passado e até hoje não voltei e estou sentindo uma baita falta!
No meu caso não é falta de vontade, mas falta de tempo (faculdade em dois turnos e o resto do tempo é deslocamento, estudo e Lara).

De qualquer forma, tenho que arrumar alguma maneira de sair do sedentarismo, urgente!

Mury disse...

Como educadora física adorei o post. Infelizmente moro numa cidade que não se encontra muitas diversidades de programas para se fazer com bebês, uma pena porque ia adorar poder fazer uma atividade que pudesse levar meu filho comigo. Parabéns por manter-se ativa ;)

Carmen Palet disse...

Querida Lia, espero que você e as meninas estejam bem! Senti saudades e resolvi registrar a experiência agradável que foi conviver com você e a Margarida por alguns meses... Saúde e felicidades pra toda sua famíla!

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.