quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Menos um bebê em casa

Amanhã ela completa dois anos.

+++

Ontem passei mal. Uma dor horrível no estômago. Gases, pensei. Marido tentou fazer uma massagem na minha barriga, mas a dor aumentava e eu pedi pra parar. Pouco tempo depois, vomitei. Enquanto isso, Margarida acordava no quarto ao lado.

Não, não estou grávida. Uma virose, talvez. Cansaço excessivo, mais provavelmente. Criança de férias em época de chuva dá nisso. Mas, talvez... talvez a proximidade do limiar que separa o bebê da criança, o aniversário de dois anos da minha primogênita, tenha a ver com isso. Minha sombra, muito prazer.

+++

O que acontece quando você tem dois bebês? Sejam gêmeos ou irmãos com idades muito próximas? É muito espelho pra nos revelar... não é fácil.

Estou perdendo um desses espelhos. Sim, Emília continuará muito ligada a mim, especialmente durante a primeira infância. Mas cada vez menos. A cada dia, ela descobrirá novos vínculos, se encontrará enquanto indivíduo, tomará decisões. Um processo fascinante, amo ver minha flor desabrochar. Mas um processo algo doloroso, pra nós duas.

Sempre pensei que as coisas mais lindas, mais profundas, mais plenas, têm de doer de alguma forma. Paixão. Parto. Amamentação. Maternidade. A dor de nos conhecermos melhor, de revelarmos aquilo que estava oculto. E o prazer de se sentir livre depois.

+++

Há uma semana, tirei a mamada da tarde de Emília. Ela estava mamando três vezes ao dia - de manhã, à tarde e à noite.

Meu sonho era que ela se desmamasse sozinha. Fosse parando de pedir. Mas não foi o que aconteceu e, à medida que fui ficando cansada, fui intervindo. Primeiro, acabei com a livre demanda: parei de dar o peito além das três vezes que ela costumava mamar, mesmo se ela pedisse. Depois, estabeleci horários pras mamadas, porque depois que Margarida nasceu era tanto leite que Emília nem queria mais tomar café da manhã. Então combinamos que ela só mamaria depois das refeições. Nesse processo, ela aprendeu a falar frases como:

- Té mamá. Já mamô. Té mamá di novo.
- Emi já almoçô, adora podi mamá.

Confesso que morri de dó de tirar essa mamada da tarde, porque ela está sentindo. Alguns dias são tranquilos, mas em outros ela fica bem chorosinha. Ela parece que tem toda a maturidade intelectual pra compreender a situação, mas não tem a maturidade emocional pra isso.

Mas está decidido. O mamá da tarde acabou. É bom pra mim, é bom pra Margarida, mas também acho que é importante pra Emília. Estamos nos separando, mas de mãos dadas. Livres, mas juntas.

+++

E o pré-desfralde está evoluindo muito bem. Por aqui optamos por ir devagar, deixando Emília sem fralda apenas parte do dia, em casa.

Decidimos continuar com o projeto penico, mesmo com Margarida pequena e sem tanta disponibilidade para acompanhar Emília devidamente nesse processo.

Ocorre que, há umas duas semanas, Emília desenvolveu uma alergia severa à fralda descartável, que ela usava pra dormir. Ao mesmo tempo, as fraldas de pano passaram a aguentar cada vez menos tempo antes de vazar - fraldas tamanho único, bexiga tamanho GG, xixis bem mais volumosos. Foi necessário, então, aposentar de vez as fraldas descartáveis e deixar Emília o máximo de tempo possível sem fraldas pra melhorar as feridas da alergia.

Depois que ela passou a dormir de fralda de pano, percebi que muitas vezes a fralda amanhecia seca. Logo em seguida, ela fazia um mega xixi que vazava. Então comecei a levá-la pro penico assim que ela acordava. Sucesso total, todo dia um xixi no penico.

A cada dia ela demonstra mais controle. Já começou a pedir o penico e consegue urinar voluntariamente no banho, mesmo que ela tenha pouquíssimo xixi na bexiga. Hoje, pela primeira vez depois da pausa que demos no desfralde, ela fez cocô no penico. Pediu pra fazer xixi, sentou, e fez um "fofôzão". E depois anunciou: "Vai fazer xixi em cima do fofô".

+++

Amanhã ela faz dois anos. Usa fraldas, mas faz cocô no penico às vezes. Mama, mas não mais em livre demanda.

E eu? Eu quero ajudá-la a crescer, sem jamais forçá-la a abandonar fases que ainda não estejam totalmente resolvidas pra ela.

Pode virar mocinha, meu amor! Porque de bebês esta casa ainda estará cheia por um bom tempo, se Deus quiser.

19 comentários:

Fernanda disse...

Que fofinha a Emília....
Eu também sofro com as transições. Aqui o desmame tem sido lento e gradual, o Antonio (com 17 meses) chega a ficar 2 dias sem mamar, depois mama, assim o leite vai secando, o interesse vai diminuindo. Graças a Deus extamente do jeito que sempre desejei: pelo tempo que ele quis, sem traumas... Parabéns para vocês por esta data tão importante!! Beijinho

A Doceria da Tathy disse...

Preciso conversar com vc sobre esse post..sobre a distância entre filha e mãe. Doeu!!!!


E parabéns pra Emi!!! Fico muito agradecida por fazer parte desses dois anos de vida dela. Beijos da Tia que deu a " abeinha".

Fabiana disse...

Que linda!
Que serelepe nesta foto.

Parabéns para a mocinha. Muita saúde e alegria hoje e sempre.

Bjos.

Letícia Volponi disse...

Lia, lindo post! Parabéns pelo aniversário da filhota e força para continuar encarando a vida com tanta poesia.

Cíntia Anira disse...

Lia,

Eu li um capítulo de um livro esses dias sobre os meses que antecedem os dois anos de idade. Como se sente o bebê e como se sente a mãe. Tem muito a ver com o que você escreveu e eu também penso em fazer um post sobre esse assunto. Diferente de você, eu não tenho outro bebê em casa, e posso admitir que uma ponta de tristeza me estremece vez ou outra.

Parabéns Emília!

beijos em todas!

Sarah disse...

Que linda a conclusão do post! E a foto fechou com chave de ouro. Parabéns pra Emília, que venham muitos anos cheios de alegria e saúde!
E sobre o desfralde, aqui foi exatamente a mesma coisa: o estalo para começar foi ele passar a acordar praticamente seco e fazer um xixizão na sequência. Boa sorte aí!
bjos

Carol Garcia disse...

lindo post, Lia.

bom de refletir sobre esses nossos espelhos. são fases que devemos desapegar do bebezinho e da mãe do bebezinho, vestir outros óculos.

emilia está um mocinha linda, parabéns.

bjo

Paloma, a mãe disse...

Que lindeza esta petite mademoiselle!! Parabéns para as duas!
Sem ter lido isso aqui, te mandei um email hoje pelos 2 anos da sua criança (não gosto do termo mocinha), é um grande marco!
Beijos e nos vemos LOGO!

(Mamãe) ~Pinel disse...

Não creio!!!!
Quanto cabelo nessa cabeça, D. Emília! hehehehe

Fofíssima, como sempre!
E muito, muito esperta!

Que a sua mocinha consiga lidar com as despedidas das fases! E ela vai conseguir!

Beijo!

Carol disse...

que lindo!
e, meu deus, DOIS ANOS! Mas ela nasceu ONTEM!

beijos em vcs e parabéns pelo crescimento!

Fabiana disse...

Que emocionantes são estas transições né?

Amei (de paixão) o trecho que você diz "sempre pensei que as coisas mais lindas, mais profundas, mais plenas, têm de doer de alguma forma. A dor de nos conhecermos melhor, de revelarmos aquilo que estava oculto. E o prazer de se sentir livre depois"

Parabéns para a Emília. Parabéns pra você.

Bjo grande

Avassaladora disse...

Ai Lia, e como dói o crescimento... E como dói a independência deles... mas ao mesmo tempo dá orgulho...

Ilana disse...

Nossa Lia, que lindo...
Parabéns para Emília que faz dois anos. E parabéns pra você, leva esses momentos de mudança - que às vezes podem ser tão ansiogênicos - de forma tão tranquila.
Aprendo muito aqui.
Bjos

Dani Garbellini disse...

Olha, a fase pós-bebê - primeira infância é maravilhosa, você vai ver.
E não sinto tanto assim a perda, vai ver que é porque o fim da simbiose aqui tá leeento de tudo.
Beijo!

Mariana - viciados em colo disse...

parabéns, lia! parabéns para emília!
estamos aqui também próximos aos dois anos, com um "rapazinho" cada dia mais gente, mais indivíduo, mais decidido, mais autêntico, com todos estes marcos de autonomia se aproximando... confesso que dá um frio na barriga!
beijoca

Li disse...

Parabéns!!!
Amei as suas palavras e me emocionei!!!

Beijos!!!

Lívia.

Ivana_coisa de mãe disse...

parabéns para a pequena-grande Emília, que Deus a abençoe com muita saúde e alegria!

Quando nossos bebê começam a virar gente grande dá mesmo um aperto no peito e é preciso muita força e coragem para entender que os nossos filhos crescem e que a gente precisa crescer junto! mas que dói, dói. Tô passando por isso aqui também.

Abraços solidários!

Ivana

Kelly Resende disse...

Amanha, já? Parabéns para essa menininha linda e esperta! De pensar que daqui uns dias é a Clara...
Beijos

Nuana disse...

TUDO ISSO E MUITO MAIS...ESSES 2 ANOS CHEGANDO TEM DEIXADO ESSA MÃE AQUI DE CABELO EM PÉ....MAS É FASE...TUDO PASSA....O DESFRALDE TÁ COMPLETO POR AQUI E FOI MEIO TRUMÁTICO POIS HOUVE UMA INFECÇÃO URINÁRIA POR TRÁS DE TUDO...MAS FOI E GRAÇAS PASSOU...BJO BJO GRANDE...

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.