segunda-feira, 28 de novembro de 2011

No sossego do lar - e sobre o medo

Muitos já conhecem o blog A Hora é Agora, projeto de conclusão do curso de Comunicação Social de duas estudantes da UFMG. Algumas mães blogueiras já deram sua contribuição, e agora foi a minha vez. Passem .

E como eu sou verborrágica e as meninas estão se formando em jornalismo - que gosta de concisão -, deixo aqui na íntegra a resposta a uma das perguntas que me foram feitas na entrevista:

A Hora é Agora: Em algum momento você teve medo ou pensou em desistir?

O medo faz parte de qualquer gestação, seja a primeira ou a décima, tenha você decidido parir em casa ou agendar uma cesárea. Gestar é uma experiência cheia de mistérios, e o desconhecido sempre dá medo. Medo de seu filho ter alguma má formação, medo da dor, medo de não ter leite, medo de não ser uma boa mãe.

O nascimento é também um momento de crise, assim como a morte. A vida contém a morte, e eu gostaria de saber de todas as mães do mundo quem jamais teve um pensamento ligado à morte durante a gravidez. Para ser mãe, morre-se um pouco. E é porque essa verdade mora em nós, mesmo que sem ter consciência dela, que temos medo.

No entanto, nunca deixei que esse medo me paralizasse. É claro que eu tinha medo de parir em casa, especialmente porque essa decisão implica trazer para si toda a responsabilidade sobre o que acontece naquele nascimento. No entanto, eu tinha mais medo ainda de parir no hospital.

O fato é que aquele bebê precisava nascer, de um jeito ou de outro. Eu tinha de vencer o medo. E precisava morrer mais um pouco para me tornar mãe novamente.

11 comentários:

Mamma Mini disse...

Muito lindo Lia. Acho que o medo está realmente de uma forma ou de outra dentro de nós e aparece nos momentos mais importantes de nossas vidas. Concordo com vc dos medos durante a gestação e de como é uma fase tão incerta cheia de surpresas... Mas gosto de acreditar que no final dará tudo certo... Um beijo pra vc e pras duas minis aí! Fê

Paloma, a mãe disse...

É isso mesmo, Lia. Medo todas temos, só não podemos nos deixar paralizar por eles.
E concordo que, com 52% de cesáreas no Brasil, fora as infecções hospitalares e os tantos riscos e intervenções desnecessárias, o medo de estar no hospital é maior!
Beijos

A Doceria da Tathy disse...

Eu tive meus dois partos cesáreos por medo. Não é o medo da questão estética do pós, mas sim medo de perder o controle, de me expor e de não dar conta. Apesar de não ter lidado com ele eu assumi pra mim que não dava conta, que esse era o meu limite. E me fez bem e me deixou consicente do processo de nascimento dos meus filhos. Bj

Neda disse...

PERFEITO!
No primeiro parto eu tive o medo do desconhecido, daquilo que ninguém nunca te conta exatamente como é. Já no segundo o meu medo era que no final o parto fosse como o primeiro.
Já a temática da morte me "assombrou" muito mais na gestação de Felipe. Cheguei a escrever cartas para os dois caso algo acontecesse comigo (primeira vez que falo isso) durante o trabalho de parto, ainda em casa.
Beijos

Cíntia Anira disse...

Tathy, você é primeira que eu leio que diz que teve medo e fez cesária. Todo mundo diz que teve um problema: foi o cordão, foi o médico, foi o risco, sempre tem um problema... até parece que a gente não tem medo...

Lia, você acompanhou meu medo. E passou. Parto passa, bom é o que fica! :D
Seu parto foi lindo. parabéns. Beijos

Fernanda disse...

Adoro seu relato de parto, não canso ao ler de novo... Beijo

Nine disse...

Ai, o medo...nessa gestação eu tenho mais medo, proque moro numa cidade isolada, sem recursos, e isso me faz ficar ansiosa...o fato de ter que morar mais de 1 mês num AP alugado em POA para ter direito ao meu parto natural tb me mata...e eu tenho medo, do Pedro vir antes e tudo ruir! Eu me lembro do primeiro parto...tive medo, mas pensei na hora que a Ísis tinha que sair e que eu preferia ela do lado de fora...a coragem veio!
Beijos,
Nine

(Mamãe) ~Pinel disse...

Relato de parto só me faz querer ter mais, e mais, e mais e mais! =D

E o medo é o sobrenome da maternidade, não tem melhor remédio, se não aprender a enfrentá-lo!

A Doceria da Tathy disse...

Pois é Cintia, eu tive medo e fui pra faca consciente de que era essa a minha escolha e que não daria conta do contrário. Tenho MUITO medo de parto normal. Vai entender isso né? Minha mãe teve os dois partos normais e sempre conversou comigo abertamente sonbre o assunto desde que eu me entendo por gente. Deveria ter sido o contrário já que o mais natural seria eu ir pelos caminho da minha mãe.

Ivana - coisademae disse...

"Para ser mãe, morre-se um pouco". Como me identifiquei com essa frase! Obrigada Lia, por compartilhar seus sentimentos maternos de forma tão delicada e ao mesmo tempo intensa.

adoro seus textos.

Bjos!

Fabiana disse...

testando

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.