terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sinal de fumaça

Pessoal, estou viva! A Emília nem tanto. Resumindo os motivos da minha ausência: torcicolo + filha doente + Conferência Rehuna acontecendo em Brasília.

Ainda estou meio isolada da web mas em breve eu volto. Torçam aí pra minha pequena melhorar, tá muito difícil vê-la molinha...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Mais da árvore de natal

Meninas, estou amando os comentários. Monta, não monta, todos argumentos fortíssimos e convincentes. Enquanto penso, deixo uma fotinho aqui do ano passado - quando Emília habitava um lugar muito menos perigoso - pra vocês sentirem o drama.

A árvore nem é tão alta (1m50, quase meu tamanho), mas ela é bem obesa. Ela tem uma base enorme que não cabe em cima de nenhum móvel que eu tenho. Todos os anos eu arrumo umas caixas pra colocar embaixo dela e deixá-la mais imponente, como essas aí da foto. Só que a coisa fica meio precária, totalmente suscetível de ser derrubada por uma criança.

Por ser muito gorda, essa árvore não cabe em nenhum outro lugar além da varanda. Daí aquela dica de pôr num cantinho entre os móveis também não funciona. Estou pensando em arrumar desta vez uma caixa gigante, tipo de TV LCD, que isole a base da árvore do resto do chão. Daí eu ponho um monte de presentes fake em volta e Emília vai ter alguns obstáculos a transpor antes de atingir o perigo, que tal?

Estou aqui matutando. É isso ou uma mini-árvore em cima de um móvel (muito boa sugestão).

Mas me digam se meu pinheiro não é lindão??

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Decoração de Natal e bebê engatinhante

Montar ou não montar a árvore, eis a questão.

Sou absolutamente fissurada pelo Natal e por tudo o que ele traz junto, sobretudo a decoração. Começa novembro e aparecem as bolas, os bonecos de neve e outros motivos nada tropicais no comércio. Eu simplesmente enlouqueço. E fico me coçando para desencaixotar logo meus enfeites e comprar uma ou outra novidade.

Ocorre que este ano temos uma criança que se locomove com alguma autonomia e está numa fase de muitas descobertas. Esse feriado fomos à casa da minha mãe montar a árvore dela e Emília se acabou com as sinetas de plástico e os laços de fita. Fez uma bagunça absurda e foi um deus-nos-acuda pra evitar que ela colocasse objetos pequenos na boca ou manuseasse coisas perigosas (pisca-piscas e enfeites de vidro). E aí eu me pergunto: vai rolar de deixar uma big árvore obesa e cintilante no chão da minha sala, ao alcance desse serzinho rastejante?

Pensei então em decorar só as paredes e as superfícies altas, tenho enfeites lindos pra isso. Mas ficar sem a árvore, o ícone do Natal pagão?!?

Eu sei que daria pra montar a árvore e toda vez que Emília chegasse perto, soltar um sonoro “nãaaao!”. Mas, poxa, coisa chata colocar uma coisa tão chamativa ao alcance do bebê e não deixar ele mexer!

Enfim, estou confusa no que vou fazer. Alguma de vocês tem experiência com decorações natalinas em tempos de bebês que estão engatinhando ou começando a andar?

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Pau no layout

Meninas, obrigada por avisarem, mas eu já sabia que meu layout estava com pau desde ontem. Afinal eu entro aqui de vez em quando, né? ;)

Na minha ingnorância, parece-me que o site onde estão hospedadas as imagens do meu blog está com a capacidade excedida. E obviamente eu não faço a menor ideia de como resolver, porque não fui eu que fiz o layout e não entendo lhufas de programação.

Estou pedindo ajuda à minha amiga designer responsável pela minha lindeza de blog, mas não sei quanto tempo vai demorar. Até lá, me aguentem com layout feio, please?

+++

Meu marido consertou!! ê!!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

No silêncio da noite

Meu marido comentou no blog da minha querida amiga Lídia sobre as noites insones de quem tem um bebê:

Força aí que as noites melhoram (depois pioram, depois devem melhorar de novo, ainda não chegamos nessa fase… hehe)

E a mãe dela, dona Maria Amélia, deixou esta linda resposta que me fez arrepiar toda e eu tive de documentar aqui:

depois as noites ficam totalmente silenciosas, nem barulho de porta na madrugada… é a fase de profundas saudades!!! Pode ser difícil dormir mal a noite, mas dá saudades tb!!! Aproveitem então…

*suspiro*

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Minha filha é um gênio

E os filhos de todas vocês, eu sei. Mas qual a função de um blog materno, além da trocas de experiências, senão se gabar das proezas do seu rebento?

Então eu também peço licença pra me exibir à custa da minha cotoca, que anda aprontando as maiores gracinhas do mundo.

1) Emília finalmente engatinhou. Êeee! Foi um pouco mais tarde que a média, mas ela engatinha com tamanha graça, perfeição e leveza que óbvio que é pra babar.

2) Ela agora deu pra brincar de esconder. A gente fala "cadê a Emília?", e ela logo cobre o rosto com as mãozinhas e descobre com a maior cara de quem sabe que está agradando. Ela também faz isso com algum pano que esteja à mão. Funciona se você perguntar "cadê a Emília?", "cadê o papai?", "cadê a mamãe?", cadê qualquer coisa.

3) Acho que eu já disse aqui em algum lugar que ela bate palminhas. Pois. Quando a gente começa a cantar "palhacinho remeleixo-xo", ela começa o clap-clap. Mas a genialidade não está aí: se a gente cantar "meu pintinho amarelinho", em vez de bater as palmas com as duas mãos abertas, ela abre uma e fica apontando o indicador com a outra (tipo "cabe aqui na minha mão").

4) Ela está conseguindo se comunicar cada vez melhor. Esses dias ela estava recusando a comida. A gente insistiu um pouquinho até que ela apontou pro copo. Bebeu a água e voltou a comer normalmente.

Alguém sabe se Harvard já está aceitando inscrições?

(Uma homenagem à Roberta e às frases complexas do Noah.)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Emília e o mar

Viajei, não avisei. Ops.

Emília conheceu o mar.

No primeiro dia ela teve medo e se agarrou em mim com tanta força que até dormiu.



No segundo dia, conseguimos brincar de piscininha.



O terceiro dia, que era pra entrar um pouco mais fundo no mar, não rolou. Peguei uma virose do cão e estou em casa de atestado.

O feriado em Fortaleza foi maravilhoso, mas temos que rever a frequência das nossas viagens porque está dando muita canseira. Vide meu estado deplorável de saúde. Mas valeu, Emília conheceu o mar e o mar conheceu Emília!

+++

Tem muita gente nova comentando por aqui e eu com essas mil viagens e doenças nem tenho tido condições pra dar as boas vindas a cada uma individualmente, como gosto de fazer. Desculpem, meninas, saibam que leio todos os comentários e adoro receber novas leitoras. Sintam-se em casa!

Seguidores

 
Blog Design by Template-Mama.